Perfil

Vida Extra

O primeiro condomínio em Portugal certificado para resistir às alterações climáticas

Criado por André Jordan para ser uma "Quinta do Lago em Lisboa", o Belas Clube de Campo é considerado "resiliente" a riscos naturais, como inundações ou tempestades

O Belas Clube de Campo, complexo residencial e de golfe no concelho de Sintra, desenvolvido pelo empresário André Jordan, acabou de ser certificado pela norma que atesta a sua resiliência às alterações climáticas, entre outras valências, no âmbito do sistema LiderA, e com um grau elevado de classificação (classe A).

Esta certificação atesta a capacidade dos ambientes construídos conseguirem-se ajustar e dar resposta a riscos naturais, como inundações, tempestades ou vagas de calor. Mas também se alarga à "resiliência" do empreendimento em matéria de aspetos humanos, sociais ou económicos, designadamente atos de criminalidade, ataques terroristas, falhas das infraestruturas, entre outros.

“Todas as comunidades e zonas são de certo modo, vulneráveis a perigos naturais ou de origem humana. Aprender a viver com o risco, aceitar essa vulnerabilidade, choques e tensões e, desenvolver uma tolerância coletiva ao risco, é o primeiro passo para se tornar mais resiliente” explica Manuel Duarte Pinheiro, responsável pelo sistema LiderA.

Uma "referência internacional em sustentabilidade", diz a certificadora

O empreendimento em Belas que Andre Jordan desenvolveu com o objetivo de ser uma espécie de "Quinta do Lago na região de Lisboa", e que na sua nova fase se designa de Lisbon Green Valley, constitui “uma referência internacional na área da sustentabilidade, e apresenta já um conjunto de medidas distintivas em relação à prática comum", garante o responsável do processo de certificação.

Para a certificação do Belas Clube de Campo como "resiliente" às alterações climáticas foram tidos em conta série de critérios totalizando 20 parâmetros de avaliação. Entre estes, incluem-se ondas de calor, chuva intensa ou cheias, inundações, abastecimento, qualidade da água erosão do solo, risco de incêndio, biodiversidade, além de vários outros critérios.

O relatório de avaliação da cerificadora destaca ainda que o empreendimento residencial no concelho de Sintra tem "vários aspetos distintivos em relação à prática comum, quer a nível de planeamento das infraestruturas e loteamento, quer a nível construtivo dos seus edifícios de habitação unifamiliar, coletiva e de serviços, tornando-o resiliente quando comparado com a referência".

Alguns exemplos de medidas em que o complexo se destaca como resiliente são a qualidade do isolamento em paredes, pavimentos e cobertura, o abastecimento e qualidade da água, além do sistema de recolha e armazenamento de águas da chuva. Com construção anti-sísmica, o condomínio também se destaca pelas medidas de prevenção de risco de incêndio, tendo um posto de observação e vigilância da mata num raio de 30km, e carro de combate de rápida intervenção.

O Belas Clube de Campo já tinha sido certificado pela primeira vez pelo sistema LiderA em 2012, obtendo a classificação de A+ para a urbanização. Em 2017, foi-lhe atribuída a classificação A++ referente às moradias do Lisbon Green Valley, e em 2018 obteve uma avaliação correspondente à Classe A+ nos apartamentos do lote 10.

Em 2019, o empreendimento apresentou ao mercado as primeiras casas em Portugal a atingir valores de certificação Nearly Zero Energy Building (NZEB). E recentemente foi distinguido pela Agência para a Energia (ADENE) com o AQUA+, o novo índice que atesta a eficiência hídrica nos edifícios.