Perfil

Vida Extra

O seu dinheiro é sujo

Sabe quantos micróbios vale uma nota? Há um império de microorganismos no seu dinheiro

Getty Images

Já todos ouviram falar de “dinheiro sujo”, normalmente associado a formas de enriquecimento ilícitas. Também, por certo, já se terão deparado com a expressão “lavagem de dinheiro” ou “branqueamento de capitais”, formulações comumente utilizadas para casos de crimes económico-financeiros. Não serve, no entanto, este artigo para lhe falar de corrupção, mas da higiene falida das notas que, todos os dias, em maior ou menor número, o acompanham na carteira ou no bolso.

A ciência não engana e a conclusão é clara: o seu dinheiro, o de todos nós, é sujo. Mais: é um autêntico império de bactérias.

Assim demonstra um estudo elaborado por uma equipa de investigadores do Centro de Genoma e Biologia de Sistemas da Universidade de Nova Iorque, cujos resultados indicam que uma simples folha de papel-moeda contém 3000 tipos de micróbios.

Os dados da mesma investigação revelam ainda que a maioria dos microrganismos encontrados nas notas analisadas são provenientes da pele, da boca e da vagina.

Cada ser humano alberga, em média, uma colónia de 38 mil milhões de bactérias.