Perfil

Vida Extra

Experiências culinárias da Airbnb em Lisboa incluem jantares com 'drag queens'

Plataforma de reservas lança nova categoria de experiências em parceria com a Slow Food, e vai publicar um livro com as melhores receitas de família a nível mundial

Micaela Araoz Sanchez

Preparar "receitas portuguesas com drag queens" é uma das novas experiências culinárias disponíveis em Lisboa através da Airbnb. Trata-se de uma categoria recentemente lançada a nível mundial pela plataforma de reservas, que tem incentivado os proprietários dos alojamentos (aos quais designa de 'anfitriões') a criar as suas próprias experiências, e com isto obter um rendimento extra.

Segundo a Airbnb, esta nova categoria de experiências propõe-se revelar "as tradições culinárias escondidas de famílias de todo o mundo", e assim também proporcionar aos turistas outra forma de "conhecerem a cultura através da comida", valorizando-se ainda a "relação humana", com as "pessoas a reunir-se para preparar e partilhar uma refeição".

A criação das experiências culinárias fica à criatividade dos anfitriões, e entre as que são destacadas em Lisboa inclui-se "cozinhar autênticas receitas portuguesas com drag queens". Trata-se de uma experiência em que o hóspede se pode maquilhar como 'drag queen', e em que o próprio anfitrião se assume como um 'drag chef'.

Em Lisboa, a Airbnb destaca ainda outras experiências culinárias disponíveis na sua plataforma de reservas, como "Aprender a confecionar pastéis de nata", "aulas de culinária com as vovós do mar", "aprender a fazer pratos portugueses de tapas" ou "Workshop autêntico de comida portuguesa".

As experiências culinárias pode envolver "chefs, pasteleiros, agricultores, famílias e muitos outros", enfatizando desta forma "o significado profundo que está por trás dos alimentos consumidos, através da partilha de receitas tradicionais e de histórias, em ambientes intimistas, em todo o mundo", esclarece ainda a Airbnb.

No objetivo de "proteger a natureza única de cada receita", a plataforma garante que estas experiências culinárias são verificadas com base nas "diretrizes que servem de inspiração à Slow Food, organização cuja missão é prevenir o desaparecimento das culturas e das tradições gastronómicas locais".

Os hóspedes são convidados a nomearem o seu "cozinheiro amador favorito", e os 100 melhores classificados vão poder fazer quatro cursos em Itália, em Pollenzo, na Universidade de Ciências Gastronómicas da Slow Food, junto de especialistas como o chef David Chang e a sua mãe, Sherri. Nestes cursos, os 'anfitriões' vencedores poderão aperfeiçoar a sua receita de família, que será um dos "tesouros culinários" do livro de receitas que a Airbnb prevê lançar em 2020.

Para apurar os 100 anfitriões vencedores que irão melhorar a sua arte culinária em Itália, é preciso que os utilizadores da Airbnb se inscrevam e nomeiem os seus cozinheiros amadores preferidos em airbnb.pt/cooking, enviando um texto pessoal a explicar porque consideram a escolha perfeita. As inscrições estão abertas a partir deste momento, e terminam às 4h59 (hora de Portugal) de 23 de dezembro de 2019. Os 100 vencedores serão selecionados por um painel de juris que inclui representantes da Airbnb, da Slow Food e da Universidade de Ciências Gastronómicas. Existem 25 vagas em cada uma das quatro sessões do curso de culinária, que arrancam a 15, 22 e 29 de junho, e a 6 de julho de 2020.

Experiências com gastronomia disparam 160%

A Airbnb adianta que as reservas de experiências envolvendo gastronomia ou bebidas estão a disparar a um ritmo de 160% desde 2018, antecipando que este processo seja ainda mais acelerado com as novas experiências culinárias "que garantem uma experiência local autêntica, em ambientes intimistas e com grupos pequenos".

"Desde que os primeiros hóspedes viajaram com a Airbnb, percebemos que partilhar uma refeição é a chave para desvendar culturas escondidas e promover relações", sustenta Brian Chesky, CEO e cofundador da Airbnb, refeindo que com as novas 'experiências culinárias' "queremos trazer de volta a tradição das pessoas que se reunem para preparar e partilhar refeições, e assim ajudar a preservar receitas únicas que são partilhadas em cozinhas familiares no mundo inteiro".

Para Paolo Di Croce, Secretário-Geral da Slow Food, as experiências de culinária na Airbnb também são "uma grande oportunidade para divulgarmos o nosso apelo urgente sobre os padrões de sustentabilidade e a proteção da biodiversidade alimentar em todo o mundo, chegando até novos públicos e inspirando alterações em todo o setor alimentar e turístico".

O responsável da Slow Foof frisa que "temos um compromisso a longo prazo de garantir que as experiências de viagem permaneçam autênticas, de ajudar os viajantes a conhecerem mais sobre as comunidades locais e de aumentar a consciencialização sobre as práticas alimentares sustentáveis".