Perfil

Vida Extra

A infância canibal da Via Láctea, que há 10 mil milhões de anos devorou a vizinha anã

A revelação é feita por um grupo de astrónomos do Instituto de Astrofísica das Canárias

Pone Pluck / Getty Images

Julga-se que o universo tenha uma idade de 13.700 milhões de anos e nos estágios iniciais de vida tudo era quente, caótico, selvático. As galáxias ganhavam forma e, numa fase primitiva em que estavam bem mais próximas, cruzavam-se, colidiam e devoravam as mais pequenas. Assim aconteceu também com a Via Láctea, que, para sobreviver até à atualidade, alimentou-se dos seus vizinhos cósmicos e cresceu até se fazer gigante.

“No princípio da vida do universo, estes choques eram muito frequentes e permitiram que as galáxias fossem aumentando de tamanho até terem as dimensões como as que vemos hoje”, explica a astrónoma Carme Gallart, do Instituto de Astrofísica das Canárias (IAC), citada pelo “El País”

É preciso recuar até à infância da Via Láctea para identificar um ato de “canibalismo cósmico”, quando a nossa galáxia engoliu, há 10 mil milhões de anos, a vizinha anã Gaia-Enceladus, quatro vezes mais pequena.

“A Via Láctea, provavelmente, sofreu dezenas ou centenas de fusões, mas esta é a maior alguma vez detetada”, afirma a líder da equipa de cientistas do IAC, responsável pela descoberta divulgada, esta segunda-feira, na revista Nature Astronomy.

Atualmente, a nossa galáxia está em rota de colisão com Andrómeda e o encontro entre as duas vizinhas deverá acontecer daqui a 10 mil milhões de anos.