Perfil

Vida Extra

E depois do adeus à antiga catedral, eis os alicerces para o futuro de Notre-Dame

Um dos projetos (pelo parisiense Studio NAB) sugere um jardim sob um telhado em vidro no topo da catedral

Studio Nab

Praticamente passado um mês sobre o incêndio que devastou parte da Catedral de Notre-Dame, no coração de Paris, começam a ganhar forma cenários de possibilidades para a concretização das obras de recuperação. Uma consulta aos cidadãos foi anunciada na última semana pelo ministro da Cultura francês, Franck Riester, numa entrevista para o canal La Chaîne Info, dando a entender que a decisão dependerá das conclusões aí tiradas. Uma sondagem no YouGov, entretanto citada pela AFP, apontou que 54% dos franceses são partidários de uma reconstrução fiel do monumento tal e qual existia antes do incêndio. Apenas um quarto dos inquiridos aceitaria a presença de elementos de arquitetura contemporânea num eventual plano de recuperação. E entre as propostas com elementos modernos já tornadas públicas há uma que sugere a construção de um jardim no topo da estrutura, sob um telhado de vidro (na imagem), uma que defende uma cobertura feita em vitrais e ainda uma outra que sugere que o novo pináculo seja de vidro (em lugar do feito em madeira e chumbo que o incêndio destruiu). Há ainda um projeto que propõe um feixe de luz lançado a partir das torres de Notre-Dame, tal como aconteceu no lugar das Twin Towers depois do 11 de setembro.

Entretanto, começou a ganhar algum peso uma oposição ao prazo de cinco anos para a concretização das obras que foi apontado pelo Presidente francês Emmanuel Macron um dia depois do incêndio. A data foi apontada a 2024, o que corresponde ao regresso dos Jogos Olímpicos a Paris.

Para ler o artigo na íntegra, clique AQUI.

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.