Perfil

Vida Extra

10 verdades e mentiras sobre o micro-ondas (em que já acreditamos alguma vez)

O micro-ondas está presente em 90% das casas europeias, mas há cada vez mais gente a abdicar dele e a voltar ao fogão para aquecer a comida

É, provavelmente, o eletrodoméstico que mais suspeitas continua a levantar. Emite radiações? Contamina a água? Faz explodir os ovos? A Fundação Alícia, um centro espanhol de investigação em inovação tecnológica na cozinha e hábitos alimentares, esclareceu - ao jornal La Vanguardia - alguns dos mitos que foram sendo criados à volta desta pequena caixa que aquece comida.

1- As micro-ondas tornam a comida perigosa: Falso

As ondas emitidas pelo micro-ondas são eletromagnéticas de alta frequência, parecidas às de um telemóvel, uma televisão ou de um rádio, que atuam sobre as moléculas polares da água, gorduras e açucares sem alterá-los. "Não altera mais a composição química dos alimentos do que os outros métodos de aquecimento", explica Laia Badal da Fundação Alícia, que investiga desde 2011 assuntos relacionados com o micro-ondas e a cozinha.

A explicação científica do funcionamento do micro-ondas é simples: as moléculas polares têm um extremo com carga positiva e outro com carga negativa. O campo eletromagnético interage com elas, movendo-as, o que gera calor e a água, por exemplo, ferve. O facto de as moléculas se mexerem não é nocivo para os alimentos.

2- Usar o micro-ondas é prejudicial para a saúde: Falso

O micro-ondas é o pequeno eletrodoméstico sobre o qual mais se especula, principalmente na internet. O boato de que se nos pusermos à frente dele enquanto está a trabalhar aumenta o risco de cancro continua a circular. Claudi Mans i Teixidó, professor de química da Univeridade de Barcelona desmente-o: "as ondas do micro-ondas não emitem radiações ionizantes, ou seja, não provocam mutações nos seres vivos, não afetam o ADN nem provocam o aparecimento de tumores".

3- O ovo explode e o chocolate queima: Verdadeiro

O ovo contém uma elevada percentagem de gordura, o que faz com que aqueça rapidamente. Como não pode expulsar o vapor, explode com muita facilidade.

Para fundir chocolate, também não é aconselhável que o façamos no micro-ondas. Aquece rapidamente e contém pouca água, o que faz com que queime com muita facilidade.

4- O micro-ondas pode queimar: Verdadeiro

Ao contrário do telemóvel, no micro-ondas as ondas estão concentradas num espaço fechado. É importante que o equipamento esteja em perfeitas condições para não haver o risco de haver uma fuga das ondas - poderiam provocar queimaduras. É importante que a porta feche bem e que o micro-ondas não tenha fendas.

5- Podemos comprovar se o micro-ondas tem alguma fuga com um telemóvel: Falso

Diz-se por aí que a maneira de perceber se o micro-ondas tem alguma fratura no revestimento é colocarmos um telemóvel lá dentro. Se o telemóvel se ouvir é porque há uma fuga. Se não se ouvir, está fechado hermeticamente. Claudi Mans i Teixidó afirma que isto é totalmente
falso: "As ondas do telemóvel podem atravessar a proteção da porta e vai sempre ouvir-se cá fora, ainda que mais baixo".

6- O micro-ondas elimina os nutrientes dos alimentos: Falso

"Os alimentos cozinhados ou aquecidos no micro-ondas vão ter o mesmo valor nutricional do que os cozinhados no forno", explica a investigadora da Fundação Alícia. Em qualquer modo de preparação os alimentos vão perder alguns minerais e vitaminas. Cozer alimentos em água é o método onde os alimentos perdem mais nutrientes.

7- Não se podem cozinhar todos os alimentos no micro-ondas: Falso

Seguindo as instruções adequadas, no micro-ondas pode cozinhar-se quase todo o tipo de comida. O facto de o micro-ondas não atingir temperaturas muito altas obriga a que se deva respeitar os tempos indicados, usando os recipientes certos.

8- O micro-ondas não cozinha nem aquece de forma homogénea: Verdadeiro

No fogão o calor chega a todo o alimento de forma homogénea, mas no micro-ondas isso não acontece. A comida com menos água ou azeite vai aquecer ou cozinhar mais lentamente porque as ondas não conseguem mover as moléculas tão facilmente. O prato giratório serve, precisamente, para ajudar a comida a aquecer da forma mais homogénea possível.

9- É perigoso aquecer água no micro-ondas: Verdadeiro e falso

O maior mito que há em relação a aquecer água no micro-ondas é o de que pode sair disparada ao retirarmos do micro-ondas. Pode parecer exagerado mas tem o seu fundo de verdade: ao contrário do que acontece no fogão, no micro-ondas a água aquece mas não produz as típicas borbulhas quando começa a ferver, através das quais o vapor é expulsado. Ao receber, por exemplo, uma saqueta de chá ou uma colher a água quente recebe uma bolha de ar - isto pode realmente fazer com que a água entre em super-ebulição.
Há quem diga também que o micro-ondas altera o ADN da água quando a aquecemos no micro- ondas. Esta parte é totalmente falsa - a água não tem ADN.

10- Qualquer recipiente pode ser colocado no micro-ondas: Falso

Devemos colocar no micro-ondas apenas os recipientes que sejam fabricados para resistir a altas temperaturas. O plástico suscita muitas dúvidas mas Laia Badal esclarece que "hoje em dia já encontramos recipientes de plástico que estão perfeitamente aptos para aquecer no micro-ondas".

O pirex e o silicone são os materiais que mais resistentes a altas temperaturas - ainda mais do que o vidro.

O metal não deve ser aquecido no micro-ondas, uma vez que as ondas movem os eletrões do metal, que se podem acumular em alguma parte do recipiente e fazer faíscas. O alumínio é o metal mais perigoso (e também o mais usado na cozinha).

Cobrir recipientes com película aderente para reter o vapor também está totalmente desaconselhado, afirma a investigadora da Fundação. À exceção dos casos em que certos pratos já trazem uma película plástica adequada para tal.

Inventado por acidente

Em 1945, Percy Spencer - engenheiro na empresa Raytheon - descobriu que um chocolate que tinha no bolso tinha derretido enquanto testava um radar (durante a Segunda Guerra Mundial, com o objetivo de detetar os aviões do inimigo). Por acidente percebeu que as micro-ondas geradas por aquele aparelho faziam mexer as moléculas de água da comida - o que as aquecia.

Começaram a ser fabricados nos anos 50, mas só a partir de 1970 invadiram as casas norte-americanas. Hoje, é utilizado em todo o mundo.

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.