Perfil

Vida Extra

Internet limitada, aeroporto encerrado, ruas vazias. A celebração do “Dia do Silêncio” em Bali

O principal destino turístico da Indonésia mergulha num raro silêncio, com lojas fechadas e praias e outras áreas públicas vazias

Guardas de Bali, localmente conhecidos por Pecalang, patrulham uma estrada durante o Dia do Silêncio, o 'Nyepi'

STR / EPA

A ilha indonésia de Bali encerrou esta quinta-feira o aeroporto internacional e limitou o acesso à internet em dispositivos móveis, como parte da celebração hindu do Dia do Silêncio, que promove a introspeção e rejeita o materialismo.

Desde as 06:00 (22:00 de quarta-feira, em Lisboa), e durante 24 horas, o principal destino turístico da Indonésia, onde vive a maior parte da minoria hindu do arquipélago, mergulha num raro silêncio, com lojas fechadas e praias e outras áreas públicas vazias. “É o anticlímax da azáfama diária durante todo o ano. 'Nyepi' é o drama do silêncio, onde o barulho se transforma em serenidade”, disse na quarta-feira o departamento de Relações Públicas da província de Bali, no Instagram, antes de cessar a atividade nas redes.

A ilha indonésia de Bali, com mais de quatro milhões de habitantes, recebe mais de seis milhões de visitantes todos os anos. Pelo segundo ano consecutivo, o silêncio estende-se aos serviços de dados das empresas telefónicas de Bali, embora o acesso à Internet de banda larga continue em hospitais e outros serviços.

Habitantes de Bali carregam efígies gigantes de diabo, cujo nome local é 'Ogoh-Ogoh', durante um desfile antes do 'Nyepi', Dia do Silêncio, que marca o ano novo hindu

Habitantes de Bali carregam efígies gigantes de diabo, cujo nome local é 'Ogoh-Ogoh', durante um desfile antes do 'Nyepi', Dia do Silêncio, que marca o ano novo hindu

MADE NAGI / EPA

O Dia do Silêncio, ou “Nyepi”, celebra o ano novo de acordo com o calendário balinês, que hoje entra no ano de 1941, e também inclui jejum, não trabalhar, viajar, comer, acender luzes, eletrodomésticos ou realizar qualquer atividade lúdica. Na véspera, realiza-se um desfile de efígies hindus demoníacas e mitológicas, conhecido como “Ogoh-Ogoh”, que simboliza a purificação do ambiente e termina com a queima das estátuas no final da procissão.

A celebração hindu é o melhor dia do ano para a observação do céu noturno na ilha, já que praticamente não há luz artificial.

Jovem hindu passeia junto a um altar em Jacarta, Indonésia

Jovem hindu passeia junto a um altar em Jacarta, Indonésia

WILLY KURNIAWAN / Reuters

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.