Perfil

Vida Extra

Será que conseguiria ser um perito de elite da Scotland Yard? Faça o teste

Uma habilidade superior para reconhecer caras e não as esquecer. Veja se a tem

Darius Bashar / Unsplash

A Universidade de Greenwich criou um teste aparentemente simples, mas que pode revelar uma apetência fora do normal - reconhecer rostos humanos e conseguir identificá-los em diferentes situações e de diferentes ângulos. Bem mais do que talento, ser um super recogniser ('super reconhecedor', traduzido à letra), como lhe chamam no grupo de elite da Scotland Yard, permite trabalhar nos casos mais difíceis. Homens e mulheres que conseguem memorizar, sem grande esforço, as feições de milhares de pessoas são essenciais no reconhecimento de criminosos, porque chegam lá mesmo quando as imagens de CCTV são tremidas e desfocadas.

O teste, também ele chamado Super Recogniser, é uma iniciativa da universidade inglesa, que quer perceber e encontrar mais pessoas com potencial, mas sobretudo melhorar a qualidade dos testes, tornando-os mais intensivos e formando cada vez melhores recognisers. “Na Universidade de Greenwich, normalmente pedimos aos participantes, principalmente a polícias, que façam uma série de testes diferentes em condições muito diferentes, para perceber a real capacidade de reconhecimento facial de cada um... Estamos sempre à procura de voluntários dispostos a participar no nosso programa de pesquisa, para nos ajudar a desenvolver novos testes e entender mais sobre por que algumas pessoas são melhores do que outras no reconhecimento facial.”

No próximo sábado, o Expresso publica uma longa reportagem sobre o tema, onde se lê, entre outras coisas, que os cálculos apontam para que “menos de um por cento da população tenha esta aptidão especial para memorizar para sempre as feições das pessoas.” Tem dúvidas? Faça o teste aqui.

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.