Perfil

Vida Extra

Vhils desenha carro de 15 toneladas

Versão em cimento, ferro e fibra de um Seat Arona exposta a partir de hoje

Podia fazer parte do cenário de uma sequela de “Mad Max”: um SUV cor de cimento com a parte traseira desdobrada em vigas, como se tivesse sobrevivido a um desastre apocalíptico. Mas não é disso que se trata. É a visão do designer português Alexandre Farto, celebrizado pelo pseudónimo Vhils, dos elementos duradouros das linhas de um automóvel, no caso um Seat Arona.

A partir de um carro real, o artista copiou a volumetria e as formas, passando-as para um novo objecto em ferro, silicone, EPS e fibra de vidro. Resultou aquilo a que poderíamos chamar um meta carro, ou seja um veículo imaginário mas bem real: nada menos de 15 toneladas de peso. O trabalho demorou mês e meio e envolveu uma equipa de oito pessoas.

Pode, a partir de hoje, ser visto na Marina de Cascais, no espaço que futuramente será ocupado pelo Museu de Arte Urbana do qual funciona como primeira pedra, neste caso literalmente falando. Discursando quinta-feira ao fim da tarde, numa festa promovida pelo importador português da marca e pela Câmara de Cascais, Alexandre Farto brincou com a sua obra, comparando-a a um fóssil que “possa vir a ser redescoberto daqui por cem anos” e que possa funcionar “como uma reflexão sobre o desenvolvimento humano de hoje”.