Perfil

Vida Extra

É mesmo necessário andar de avião em vez de comboio? Veja 5 tendências das viagens em 2020

A forma de viajar está a mudar, com mais tecnologia disponível, mas também pela urgência em travar as alterações climáticas. Uma antevisão do próximo ano segundo a KLM, companhia aérea pioneira a desincentivar os voos de avião quando não são necessários

Mantas Hesthaven/Unsplash

Até quando vamos voar de avião sem se fazer contas às emissões de carbono? Num mundo em que cada vez se fazem mais viagens, mas que por outro lado se debate com o agravar das alterações climáticas, chegou a hora das próprias companhias aéreas desincentivarem os voos de avião quando estes podem ser substituídos por comboios. A transportadora holandesa KLM foi pioneira neste campo, ao lançar em 2019 uma campanha em que propõe aos passageiros "Voar com responsabilidade", sugerindo o comboio ou outros meios como mais indicados para determinadas viagens, em vez de recorrer ao avião.

Com os vôos de avião a assumirem a fatia-de-leão das emissões de CO2 geradas no planeta, o que está ativamente a contribuír para as alterações climáticas, torna-se cada vez mais urgente que os viajantes por sua iniciativa procurem alternativas, e que a indústria turística se organize de forma a facilitar este processo.

Seguem-se algumas das tendências nas viagens que, segundo a KLM, se perfilam para 2020.

Combinar viagens aéreas e de comboio

A partir do próximo ano, deverá popularizar-se a tendência de os viajantes optarem pela compra de bilhetes de comboio em alternativa aos voos de avião para distâncias mais curtas dentro da Europa, tendo em conta as menores emissões de carbono geradas.

A combinação entre viagens aéreas e ferroviárias tenderá a ser algo mais fácil de reservar e programar para os passageiros, o que é algo que as agências e operadores turísticos holandeses já estão a avançar no terreno (e inclusivamente começam a fazer quantificações de emissões de carbono por cada alternativa de transporte).

A própria KLM, que se afirma empenhada em reduzir as emissões de carbono, já pergunta aos passageiros se precisam mesmo de andar de avião para aquele percurso, ou se o podem substituír com opções ferroviárias ou outras. A companhia aérea já anunciou que vai retirar um voo diário de Bruxelas a Amesterdão para o substituír por viagens de comboio no primeiro semestre de 2020, e adianta que vai acrescentar mais opções no seu 'site' para os passageiros planearem deslocações mais curtas usando a ferrovia. Os esforços da companhia em ser "ambientalmente mais sustentável" incluem o apoio ao projeto Flying-V, um avião com design em forma de V planeado para usar menos combustível.

Viajantes a querer compensar emissões de CO2

As pessoas estão cada vez mais conscientes da pegada de carbono gerada pelas viagens de avião, o que ganhou uma visibilidade acrescida com o movimento 'flight shaming' da jovem ativista sueca Greta Thunberg. Estudos da KLM mostram que 38,8% dos viajantes planeiam, a partir de 2020, compensar as emissões de CO2 correspondentes aos voos que fizeram, pelo que já estão a ser criados sistemas para ajudar a este objetivo.

Tecnologia de voz ou para mostrar 'selfies' em vez do passaporte

A tecnologia de reconhecimento facial, ainda em fase de teste promete vir a reduzir as filas nos aeroportos e massificar-se a partir de 2020. A ideia é as pessoas passarem por controlos de segurança e poderem embarcar mostrando uma 'selfie' através de uma aplicação específica no seu telemóvel em vez dos passaportes - o que será sempre uma opção do passageiro. A KLM já fez neste campo ensaios iniciais, e avançará novos testes em 2020, na expectativa que esta tecnologia se torne de uso frequente.

Outra tendência apontada são os 'smart speakers' usando tecnologia de voz como ajuda na pesquisa das viagens, encurtando o tempo que atualmente se gasta em consulta de motores de busca e a navegar nos sites para escolha dos destinos de férias.

Também as soluções de Inteligência Artificial estão a evoluír no sentido de melhorar os atrasos nos voos devido a tempestades e outras circunstâncias inesperadas, permitindo um cálculo rápido na forma de otimizar os aviões e as tripulações disponíveis, o que segundo a transportadora deverá refletir-se numa maior "pontualidade dos voos em 2020"..

Procura de destinos que 'bombem' no Instagram

As redes sociais, com destaque para o Instagram, deverão continuar a ser, e de forma crescente, uma fonte de inspiração para as viagens. Em particular as gerações Z e os 'millenials' no momento de fazer a reserva põem o foco na forma como o destino pode ser 'Instagramável' e originar 'likes'.

De acordo com a transportadora holandesa, 65,3% dos viajantes vêm os 'posts' de amigos e familiares e 45,9% clicam em 'hashtags' de estranhos para encontrar inspiração para as suas viagens, tendendo aqui a diminuír o papel de 'bloggers', influenciadores ou celebridades.

'Detox' de telemóvel em férias

Cada vez mais os viajantes querem disfrutar o máximo possível do seu tempo de férias, e ficar longe do telemóvel durante este período, por ser uma permanente fonte de stresse - mas ao mesmo tempo reconhecendo que não o podem dispensar por completo. Segundo a KLM, cerca de 50% dos seus passageiros têm a intenção de usar o telemóvel o mínimo possível em férias, e quase um terço gostaria mesmo de viajar sem ele.