Perfil

Vida Extra

Caldas da Rainha e Leiria já são 'cidades criativas' da UNESCO

Passa a haver sete cidades portuguesas eleitas pelo organismo cultural das Nações Unidas. Caldas da Rainha foi escolhida pelo artesanato e artes populares e Leiria pela música - juntando-se a Idanha-a-Nova, Óbidos, Braga, Amarante e Barcelos

A UNESCO distinguiu mais duas cidades portuguesas, Caldas da Rainha e Leiria, como fazendo parte rede mundial de Cidades Criativas. A escolha das Caldas da Rainha deveu-se ao seu contributo no artesanato e artes populares, e no caso de Leiria foi pela música.

Caldas da Rainha e Leiria vêm juntar-se ao lote de cidades portuguesas anteriormente eleitas neste campo pela UNESCO, designadamente Idanha-a-Nova, que é Cidade Criativa da Música desde 2015, Óbidos, Cidade Criativa da Literatura também desde há quatro anos, além de Braga, Amarante e Barcelos.

A rede de Cidades Criativas da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) passou assim a integrar 246 cidades em todo o mundo, das quais sete são portuguesas.

“Quatro das sete Cidades Criativas que a UNESCO reconhece no nosso país estão no território do centro de Portugal, o que diz muito sobre a dinâmica vibrante que se vive nesta região", considera Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, enfatizando que "a música, a literatura, o artesanato e as artes populares são partes integrantes das tradições do Centro de Portugal e da essência de quem por aqui vive".

O responsável do Turismo Centro de Portugal destaca ainda haver no território "locais e cidades inseridos em outras redes com que a UNESCO distingue sítios de exceção a nível internacional".

Pedro Machado cita aqui os exemplos dos Mosteiros de Alcobaça e Batalha, a Universidade de Coimbra, Alta e Sofia, o Convento de Cristo em Tomar e parte dos Sítios de Arte Rupestre do Vale do Côa que são classificados como património mundial da UNESCO. E lembra também que o Geoparque Naturtejo, "e em breve, do Geoparque Estrela" integram a rede de geoparques mundiais, além das Berlengas, parte do Tejo Internacional e parte do Paul do Boquilobo integrarem a Rede Mundial de Reservas da Biosfera.

"O centro de Portugal destaca-se na cultura e tradições, como se destaca no património e na natureza. O facto de reunir todas estas características num mesmo território é o que torna esta região tão diferenciadora e que atrai cada vez mais visitantes, ano após ano", salienta ainda o responsável da região de turismo.