Perfil

Vida Extra

Portugal Natural. O sossego da natureza é a nova tendência do turismo

O sossego da natureza é a nova tendência do turismo mundial e neste campo a oferta portuguesa é extensa. Conheça alguns desses locais no norte e interior do país

João Paulo Galacho

Portugal é muito mais do que Lisboa e Porto” é uma daquelas frases feitas que, pelo menos no que diz respeito ao turismo, parece começar a significar alguma coisa. São dados do Governo: desde 2015, os Açores, o Norte, o Centro e o Alentejo foram as regiões do país que mais cresceram a nível do turismo. E não se trata, certamente, de turismo urbano. Também não falamos de praia. O turismo da natureza representa 22 milhões de viagens por ano na Europa: são viajantes sem pressas, que se querem ver livres do stresse da cidade e costumam ficar mais tempo nos destinos. Para demonstrar que “Portugal é um país com condições de excelência para Turismo de Natureza”, o Ministério da Economia e a Secretaria de Estado do Turismo impulsionaram uma série de visitas a locais do norte e interior do país, ideais justamente para isso. Estes são apenas alguns exemplos, de vários, que o país tem para oferecer. Portugal fez-se de norte para sul. A apresentação deste roteiro também.

CASTELO DE MONÇÃO

A lenda bélica data do século XIV: as tropas galegas cercaram Monção, e a vila portuguesa aguentou de forma heroica. Com o passar dos dias, de ambos os lados a fome começava a apertar e os recursos — e a coragem — a escassear. Foi assim que, num “desses momentos de desespero”, a mulher do capitão de Monção usou a última farinha disponível para cozinhar os últimos pães. Em vez de distribuí-los pelos portugueses, subiu à muralha e entregou-os aos galegos, como prova de fartura. E se o inimigo quisesse mais alimento, recebê-lo-ia, porque os portugueses eram “mais humanos” do que eles. Atarantados, os galegos bateram em retirada. Assim que António Barbosa, presidente da Câmara de Monção, acaba de contar esta engenhosa história, o ministro-adjunto e da economia, Pedro Siza Vieira, diz que “conhecia a lenda do pão de Monção desde criança” e que agora percebia a sua credibilidade. Estava lançado o mote para o programa Dinamizar Fortalezas, sendo as muralhas do Castelo de Monção uma das 62 abrangidas. O objetivo passa por atrair visitantes à fronteira, sejam eles portugueses ou espanhóis. Depois do recordar de um conflito antigo, as palavras de Ana Mendes Godinho, secretária de Estado do Turismo foram mais… conciliadoras: “A fronteira não é o que nos separa, mas o que nos une.”

PARQUE BIOLÓGICO DE VINHAIS

Está localizado à entrada de uma das maiores manchas verdes do território nacional, o Parque Natural de Montesinho, em Bragança. É um exemplo de como à preservação da natureza se pode aliar o turismo. A biodiversidade do local — sejam árvores, lobos, ou cogumelos — é promovida e conservada. Surge como um destino de férias ideal para crianças urbanas, pois coloca-as em contacto direto com a terra, num ambiente com acompanhamento: as atividades vão desde alimentar os animais como o burro-granjo até montar a cavalo. A natureza com o condão de receber e acolher, e por isso a elevada procura: dada a proximidade, o Parque Biológico tem sido sobretudo ocupado por espanhóis, mas os portugueses vão mais do que a tempo de mudar isso.

Para ler o artigo na íntegra clique AQUI.