Perfil

Vida Extra

Qual é a região qual é ela, que é a preferida dos turistas portugueses? O Porto e Norte

A Entidade de Turismo do Porto e Norte de Portugal acentuou a tendência de crescimento nas dormidas, sendo a primeira região do país no ranking de residentes, com 1,49 milhões de pernoitas. Em maio, a região registou um crescimento de procura 9,9%, num total acumulado desde janeiro de 3,6 milhões de dormidas

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

Getty Images

A Entidade de Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP) acentuou a tendência de crescimento nas dormidas, sendo a primeira região do país no ranking de residentes, com 1,49 milhões de dormidas, e aproximando-se da média nacional do RevPar (receita por quarto disponível). Em maio, e segundo os dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a região registou um crescimento no número de pernoitas de 9,9% (990 mil dormidas) num total acumulado desde janeiro de 3,6 milhões (mais 8,2%).

“São dados que confirmam as indicações que tínhamos dos operadores turísticos e que podem fazer deste um ano muito especial”, salienta o presidente da TPNP, Luís Pedro Martins. Segundo os dados do INE referentes ao RevPar, o Porto e Norte mantém o 3º lugar no ranking com uma média de € 49,9, já mais próximo da média nacional (€ 52,5), assinalando um crescimento de 3,2% em relação a maio de 2018.

A região é ainda líder no ranking das dormidas de residentes, tanto em maio como no período de janeiro a maio, com crescimentos de 7,6% (maio) e de 6,8% (janeiro a maio). Nas dormidas de não residentes, o Porto e Norte cresceu 11,3% em maio e 9,3% entre janeiro e maio. Nos proveitos totais, o Porto e Norte cresceu 12,2% em maio e 11,6% entre janeiro e maio, representando já € 206,1 milhões. Nos proveitos de aposento, o Porto e Norte mantém igual tendência no crescimento, entre os 11,8 e os 11% (maio e janeiro/maio, respetivamente).

Para Luís Pedro Martins, os resultados obtidos em maio de 2019, e que vão na linha do que tinha sucedido nos primeiros quatro meses do ano, “são fruto do trabalho de promoção e divulgação do destino Porto e Norte, que tem sido muito forte junto do mercado espanhol, mas com valores já muito interessantes de turistas com origem no mercado brasileiro, por exemplo”.

Segundo o presidente da TPNP, estes são números que premeiam ainda o trabalho desenvolvido pelos diversos stakeholders da região. Luís Pedro Martins destaca as potencialidades turísticas de uma região que continua a ter uma margem de crescimento enorme”. “Estamos a trabalhar para reforçar a comunicação das potencialidades de toda a região e, como exemplo desta estratégia, ainda esta sexta-feira, inaugurámos uma tela gigante no Aeroporto Francisco Sá Carneiro para promover o destino do Parque Nacional da Peneda-Gerês”, refere Luís Pedro Martins, lembrando que é a primeira vez que o nosso único Parque Nacional é promovido no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, “porta de entrada de 90% dos turistas que visitam a região”.

Aposta no turismo de natureza

A ação de divulgação da Peneda-Gerês é uma das grandes apostas da atual direção do Turismo do Porto e Norte e visa criar condições para diversificar a visitação no território, distribuindo os turistas pelas quatro sub-regiões e promovendo o lazer de natureza. O Parque Nacional da Peneda-Gerês, que se situa no extremo noroeste de Portugal, mais precisamente na zona raiana entre o Minho, Trás-os-Montes e a Galiza, está classificado como Reserva Mundial da Biosfera pela UNESCO.

De rara e impressionante beleza paisagística, valor ecológico, variedade de fauna e flora, este parque assume-se como uma das maiores atrações naturais de Portugal. Foi criado em 1971 e é a única área protegida no País com a classificação de 'Parque Nacional'. Abrange o território de cinco municípios e estende-se por cerca de 70 mil hectares, recebendo anualmente dezenas de milhares de visitantes.