Perfil

Vida Extra

Veneza sem turistas? É possível e está nestas fotografias

O fotógrafo quis captar “uma cidade parada no tempo”, refletindo o elemento fundamental de Veneza: a água

Thibaud Poirier

Não é por acaso que “romântica” é um dos adjetivos mais utilizados quando são feitas referências a Veneza. Situada na região norte de Itália, é cruzada por uma série de canais que a tornam especial, se não única. E foi precisamente a celebrar o amor que o fotógrafo francês Thibaud Poirier lançou à cidade um olhar também invulgar.

Numa viagem de três dias, em novembro último, para celebrar os 30 anos da esposa, o fotógrafo aproveitou alguns momentos para captar “a beleza intacta” de Veneza. “Marquei no Google Maps todas as interseções de pontes e canais e caminhei à volta da cidade durante um par de horas em cada um desses três dias”, conta ao Vida Extra. “Fiquei surpreendido ao ver que Veneza, apesar de ser visitada por milhões de pessoas todos os anos e de ficar apinhada nas ruas principais, fica, na verdade, praticamente deserta e serena quando se sai das ruas turísticas, mesmo durante o dia.”

Thibaud Poirier

Poirier já tinha fotografado grandes cidades, como Tóquio, Dubai, Hong Kong ou Shangai, mas diz que ultimamente se tem apaixonado pela “beleza nostálgica da arquitetura das cidades antigas”, como Paris (de onde é natural), Roma ou Veneza. “Sleeping Venice” (ou “Veneza a Dormir”, em português) vem dessa vontade, até porque a cidade italiana não tem carros, o que facilita o ambiente destas imagens. “Já andava a trabalhar uma série parecida em Paris, mas achei muito mais fácil captar a sensação de uma cidade congelada no tempo em Veneza, porque não há carros e a arquitetura permaneceu a mesma ao longo dos últimos séculos. Eu queria fotografar imagens típicas de Veneza, é por isso que encontrará o elemento água em todas as minhas fotos”, conta.

O objetivo desta série é o mesmo que, diz, tenta em qualquer outra: fazer fotografias intemporais. Ei-las:

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.