Perfil

Vida Extra

Turismo. Ano recorde supera previsões mundiais para 2020

A Organização Mundial de Turismo estima que o número de turistas internacionais tenha chegado aos 1.4 mil milhões em 2018, superando as previsões para 2020 dois anos mais cedo

O turismo internacional cresceu 6% em 2018. O Médio Oriente (10%) e África (7%) foram as regiões com maior aumento na chegada de visitantes.

Paulo Alexandrino

Se viajou para fora de Portugal país no ano passado, então contribuiu para este recorde. De acordo com o Barómetro do Turismo Mundial da Organização Mundial de Turismo das Nações Unidas (UNTWO), o número de chegadas de turistas internacionais cresceu 6% à escala global em 2018. No total, 1.4 mil milhões de visitantes internacionais permanecem pelo menos uma noite no destino. Um valor que, em 2010, a mesma instituição estimava só vir a ser alcançado em 2020.

"O crescimento do turismo nos últimos anos confirmou que o sector é hoje um dos mais poderosos impulsionadores do crescimento económico e desenvolvimento. É da nossa responsabilidade gerir [o turismo] de forma sustentável e traduzir esta expansão em benefícios reais para todos os países e, particularmente, para todas as comunidades, criando oportunidades de trabalho e empreendedorismo e não deixar ninguém para trás", afirma Zurab Pololikashvili, secretário-geral da UNWTO, num comunicado divulgado na segunda-feira.

Segundo as estimativas, o maior crescimento na chegadas de turistas aconteceu no médio Oriente (10%), África (7%), Ásia e Pacífico (6%) e Europa (6%). As Américas ficaram abaixo da média de crescimento mundial (6%) com um aumento de 3%.

A Europa recebeu 713 milhões de chegadas, sendo que o sul e Mediterrâneo continua a liderar o crescimento na região (7%). O turismo internacional no Norte da Europa estagnou, fenómeno que a UNTWO atribuiu à "fraqueza das chegadas ao Reino Unido".

Quanto a 2019, a organização prevê que o crescimento do turismo mundial abrande 3% a 4%. A "desaceleração global da economia", a "incerteza relativamente ao Brexit" e as "tensões geopolíticas e comerciais" podem, segundo a UNTWO, "incitar uma atitude de 'esperar para ver' entre investidores e viajantes".

Quase uma década de crescimento

Antes do ano recordista de 2018, também 2017 já tinha sido um ano de grande crescimento para o turismo internacional. Segundo o relatório publicado na terça-feira, registaram-se 1.326 mil milhões de chegadas internacionais. Foi o maior aumento em sete anos com um crescimento de 7% face ao ano anterior. Este resultado ficou bem acima dos 3,8% de crescimento anual que a UNTWO tinha previsto.

África e Europa tinham sido os destinos com maior crescimento em 2017 (8,6% e 8,4%, respetivamente). No entanto, quando chega a hora de escolher um destino de férias, a maioria dos turistas continua a preferir destinos europeus em detrimento dos restantes continentes. Segundo o mesmo relatório, quatro em cada cinco turistas viajam regionalmente e as férias e lazer continuam a ser um principal motivo para viajar.

No caso europeu, este foi o oitavo ano consecutivo de "crescimento sustentado", sendo a região com mais países na lista dos destinos mais visitados. França está no topo da lista em número de chegadas, seguido por Espanha, Estados Unidos, China e Itália. Junta-se o México, Reino Unido, Turquia, Alemanha e Tailândia.

Lista dos países mais visitados em 2017 (em mil milhões de dólares)

1. França (86.9)

2. Espanha (81.8)

3. Estados Unidos da América (76.9)

4. China (60.7)

5. Itália (58.3)

6. México (39.3)

7. Reino Unido (37.7)

8. Turquia (37.6)

9. Alemanha (37.5)

10. Tailândia (35.4)

O terceiro setor com maior exportação mundialmente

Paralelamente às chegadas, também as receitas cresceram. Em 2017, o turismo gerou 1.326 mil milhões de dólares (cerca de 1.164 mil milhões de euros). Este valor torna o turismo na terceira categoria de maior exportação a nível mundial. Fica assim à frente da indústria dos produtos automotivos (tudo o que tem a ver com veículos motorizados), mas atrás dos setores químico e dos combustíveis.

A Europa é também o local com mais receitas (39%), mas o maior crescimento deu-se no Médio Oriente (12,8%). Por destinos, os Estados Unidos da América são o país onde o turismo internacional gera mais receitas.

Lista dos países onde turismo gerou mais receitas em 2017 (em mil milhões de dólares)

1. Estados Unidos da América (210.7)

2. Espanha (68.0)

3. França (60.7)

4. Tailândia (57.5)

5. Reino Unido (51.2)

6. Itália (44.2)

7. Austrália (41.7)

8. Alemanha (39.8)

9. Macau - China (35.6)

10. Japão (34.1)

A China é o país que mais gasta em turismo internacional, mas também o maior 'emissor' mundial de turistas. No ano passado, 129 milhões de chineses viajaram para o estrangeiro

A China é o país que mais gasta em turismo internacional, mas também o maior 'emissor' mundial de turistas. No ano passado, 129 milhões de chineses viajaram para o estrangeiro

Luís Barra

Os chineses são os que mais gastam

A China voltou a ser eleita o país que mais gasta em turismo. São 257.7 mil milhões de dólares que saíram do país asiático nos bolsos dos seus turistas. A medalha de prata dos gastadores vai para os turistas norte-americanos, que ainda assim gastam pouco mais de metade do que os chineses. O pódio fica completo com o Reino Unido e o top 10 inclui ainda Reino Unido, França, Austrália, Canadá, Rússia, Coreia do Sul e Itália.

Lista dos países que mais gastaram em turismo internacional em 2017 (em mil milhões de dólares)

1. China (257.7)

2. Estados Unidos da América (135.0)

3. Alemanha (89.1)

4. Reino Unido (71.4)

5. França (41.4)

6. Austrália (34.2)

7. Canadá (31.8)

8. Rússia (31.1)

9. Coreia do Sul (30.6)

10. Itália (27.7)

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.

A carregar...