Perfil

Vida Extra

Museu da Vista Alegre e Indústria inteligente premiados pela União Europeia

Museu da Vista Alegre e Indústria inteligente premiados pela União Europeia

Os prémios RegioStars 2018 são um galardão com o qual a Comissão Europeia distingue projetos inovadores e de boas práticas de desenvolvimento regional

Museu da Vista Alegre e Indústria inteligente premiados pela União Europeia

Os prémios RegioStars 2018 são um galardão com o qual a Comissão Europeia distingue projetos inovadores e de boas práticas de desenvolvimento regional

A Turismo Centro de Portugal congratulou-se com a atribuição na terça-feira, em Bruxelas, dos prémios europeus RegioStars ao Museu da Vista Alegre e ao Centro de Negócios e Serviços Partilhados do Fundão.

"Entre muitos candidatos, oriundos de toda a União Europeia, o Museu do Património da Vista Alegre e o Centro de Negócios do Fundão destacaram-se, com inteira justiça, cada um na sua área. Os prémios RegioStars consagra-os como 'estrelas' das regiões europeias, um reconhecimento de grande relevância para o futuro", salientou o presidente da Turismo Centro, Pedro Machado, citado numa nota de imprensa enviada à agência Lusa.

O Centro de Negócios do Fundão, que criou 500 postos de trabalho qualificados após uma aposta na atração de tecnológicas para aquele concelho do distrito de Castelo Branco, recebeu o prémio RegioStars, da Comissão Europeia, na categoria de apoio à transição industrial inteligente.Já o projeto de requalificação da Vista Alegre, no concelho de Ílhavo, onde foi fundada no século XIX aquela fábrica de porcelana, arrecadou o prémio de Escolha do Público.

"Realço que estes dois prémios surgem um dia depois de se saber que a Região de Coimbra vai ser Região Europeia da Gastronomia. É uma manifestação evidente do dinamismo crescente do Centro de Portugal", acrescentou Pedro Machado.

Os prémios RegioStars 2018 são um galardão com o qual a Comissão Europeia distingue projetos inovadores e de boas práticas de desenvolvimento regional, apoiados por fundos europeus.

Em quatro anos, o Centro de Negócios e Serviços Partilhados (CNSP) do Fundão permitiu atrair 14 empresas das tecnologias de informação, criar mais de 500 postos de trabalho e impulsionou um ecossistema que gerou 68 'startups' e projetos, para além da implementação de programas intensivos de conversão de desempregados em programadores informáticos, que já abrangeu 240 pessoas (50% sem formação superior e uma taxa de empregabilidade de 97%).

Já o projeto de requalificação da Vista Alegre implicou um investimento de 44 milhões de euros, com apoio de fundos europeus, que consistiu na ampliação do Museu e reabilitação da capela e teatro, modernização da fábrica e reconversão de um antigo palácio num hotel de cinco estrelas.

Portugal era o país com mais projetos entre os 21 finalistas do RegioStars 2018, com dois do Norte e dois do Centro.

O i3S e o Centro de Negócios e Serviços Partilhados do Fundão concorriam na categoria de apoio à transição industrial inteligente, o projeto Kastelo na área de melhor acesso a serviços públicos e o Museu da Vista Alegre na categoria de investimento no património cultural.

Portugal estava ainda representado no projeto internacional ClimACT, um consórcio de nove instituições europeias liderado pelo Instituto Superior Técnico, de Lisboa.

A carregar...