Perfil

Vida Extra

Medicamentos para tratar disfunção erétil são os mais apreendidos

Fármacos para melhoria do desempenho sexual são os mais confiscados nas alfândegas portuguesas

Getty Images

Dados do Infarmed revelam que, entre 2015 e 2019, a apreensão de medicamentos contrafeitos nas alfândegas portuguesas atingiu a marca de 2,5 milhões de unidades, escreve esta terça-feira o Jornal de Notícias.

O crescimento no último ano, face a 2018, foi de 48%, e no topo da lista dos mais confiscados estão os fármacos utilizados para o tratamento da disfunção erétil.

Só no ano passado, a Autoridade Nacional do Medicamento emitiu oito alertas para travar o consumo destes produtos ilegais, sete dos quais visavam o tratamento da disfunção erétil e ainda outra substância ilícita usada para aumentar o desejo sexual e a líbido.

A maioria destes “frutos proibidos” são provenientes de países como a China, a Índia, o Brasil e os Estados Unidos.