Perfil

Vida Extra

Roupa para usar e abusar

Nova Iorque já mostrou o que vale, Londres também. Agora é a vez de Milão e Paris darem contas ao mundo sobre o que vamos vestir na próxima primavera/verão. A estação quente quer-se branca e combina calções muito curtos com calças largas e bem compridas

Alexandra Carita

Alexandra Carita

texto

Jornalista

PETER FOLEY/EPA

Setembro dita as regras ao verão. É o mês mais forte da moda, que anuncia o que vamos vestir na próxima primavera/verão. Em Nova Iorque, Milão, Londres e Paris os olhos estão postos nas “Big Four” semanas da moda da estação. Os nossos também. É assim há mais de 70 anos, desde que Christian Dior teve a ideia de, na Cidade Luz, combater a tristeza e a apatia que a II Guerra Mundial tinha deixado, com a realização de um desfile de moda. Um espetáculo quase privado que fez as mulheres sorrirem outra vez. O sucesso foi tal que os desfiles a antecipar o que se vai usar nunca mais deixaram de se realizar. No entanto, só apareceram em Nova Iorque e Milão no fim dos anos 50 e, a Londres, oficialmente, a fashion week só chegou mesmo em 1984.

Terminada dia 13, a semana da moda de Nova Iorque foi a primeira a entrar em cena e a marcar terreno. De 13 a 17, foi a vez de Londres subir ao palco. Milão veio logo a seguir, começou terça-feira e vai terminar a 23, dia em que dá início a última fashion week das que realmente contam, Paris.

Para ler o artigo na íntegra clique AQUI.

  • Roupa para usar e abusar

    Nova Iorque já mostrou o que vale, Londres também. Agora é a vez de Milão e Paris darem contas ao mundo sobre o que vamos vestir na próxima primavera/verão. A estação quente quer-se branca e combina calções muito curtos com calças largas e bem compridas

  • A it girl da geração Z

    Com as suas roupas largas, cores berrantes e logos XXL de marcas de luxo, a nova menina de ouro da pop subverte as regras de como uma artista feminina se deve apresentar. Mas em dezembro faz 18 anos e deixa o aviso: “Vou ser mulher. Quero mostrar o corpo”