Perfil

Vida Extra

“Ninfomaníaco”, “aparição” e “odeio lazer”: Lagerfeld definido pelo próprio

São 15 frases, umas mais polémicas que outras, que definem um dos nomes máximos da moda: viciado no trabalho (“se desenhar for considerado trabalho”), direto, sem pudores, focado. Karl Lagerfeld morreu esta terça-feira aos 85 anos

David Lefranc

Quem sou?

“Sou como uma caricatura de mim mesmo. E gosto disso. É como usasse uma máscara. Para mim, o Carnaval de Veneza dura todo o ano.”

“Sou como um ninfomaníaco da moda que nunca chega ao orgasmo.”

“Odeio lazer, exceto ler. Realmente, sou uma pessoa feita de trabalho, se desenhar for considerado trabalho. Sou muito sortudo por fazer o que faço em perfeitas condições.”

“Quando tinha 14 anos queria fumar porque a minha mãe fumava loucamente. Mas ela disse-me: não deves fumar, as tuas mãos são muito bonitas e nota-se quando fumas.”

“Tornei-me num crocodilo da Lacoste e, em breve, também tenho de ser cosido nas roupas.”

“Não gosto de nada permanentemente e definitivamente.”

Como trabalho?

“As ideias aparecem enquanto trabalhas.”

“A Chanel é uma instituição e tens que tratar as instituições como se fossem a tua puta - e então, consegues algo dela.”

“Gostaria de ser um fenómeno de one-man da moda multinacional.”

“Por favor, não digam que trabalho demasiado. Ninguém é obrigado a fazer o seu trabalho e, se não gostarem, então deve fazer outro. As pessoas compram vestidos para serem felizes, ninguém quer saber de alguém que sofreu com um pedaço de tafetá.”

“Acho sempre que sou preguiçoso e que posso fazer melhor, que poderia esforçar-me mais. Tenho sempre a impressão de que há uma parede de vidro que não consigo atravessar. Mas, talvez, se atravessar, tudo acaba.”

“Nunca estou feliz e satisfeito com o que estou a fazer.”

A moda

“[As tatuagens] É como dormir em cima de uma T-shirt estampada e nunca mais ficas limpo.”

“Ser desleixado depois dos 25 anos é um problema. Tens de ser muito novo para usar coisas que não têm aspeto de novo.”

“Digam-me, por que os jovens designers, aqueles que estão agora nos 40 anos, tem de refazer os anos 60 e 70? Porque não podem inventar a moda de hoje?”

O que quero ser?

“Não quero estar mesmo na vida das pessoas. Quero ser uma aparição.”

“Perdi 90 quilos para conseguir usar um fato da Hedi Slimane [marca].”

“Gostava que tudo fosse lavável, incluindo eu mesmo.”

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.