Perfil

Vida Extra

Moda. Como “o mundo finalmente reparou em Portugal”

A revista Footwear News atravessou o Atlântico para fazer uma produção de moda no Porto, com sapatos portugueses. A Esquire, também de olhos postos no que se faz em Portugal, diz que o país “merece um lugar nos radares internacionais”

Frederico Martins

É uma dupla vitória da moda portuguesa nos EUA. Na mesma semana, duas revistas norte-americanos dão destaque ao que se faz por cá. “Portugal está em alta”, diz a Footwear News.O pais “merece um lugar nos radares internacionais”, garante a Esquire.

O pontapé de saída para esta vaga de elogios ao Made in Portugal do outro lado do Atlântico foi dado pela Footwear News, a maior revista de calçado dos Estados Unidos, com um editorial de moda que cruza sapatos portuguesas e roupa de designers americanos no cenário da baixa do Porto.

O trabalho fez capa na última edição da revista, com o título “Portugal Rising” para destacar a ascensão da moda nacional. Garante que Portugal, um destino europeu esquecido no passado, está a viver um momento alto, graças à combinação única de três fatores: “tradição, inovação e uma beleza sedutora muito própria”.

E como é que a revista e a sua editora Shannon Aducci descobriram isto? Vieram a Portugal a convite da APICCAPS, a associação dos industrias do sector, para visitar as empresas de calçado que vão estar presentes numa feira em Las Vegas. Gostaram do que viram e decidiram organizar esta produção para mostrar aos norte-americanos e ao mundo o que faz a indústria portuguesa de calçado, num cruzamento muito especial de "tradição e modernidade", que permite "esculpir sapatos com tecnologia".

FREDERICO MARTINS

Conquistar os EUA através de Itália

A Esquire segue exatamente a mesma linha para dizer que a moda masculina tem de estar atenta ao país, um produtor com muita tradição no mundo do artesanato, mas agora a ganhar protagonismo com uma série de marcas jovens que levam o made in Portugal mais longe.

A revista fala de “uma combinação especialmente interessante de know-how técnico e novas perspetivas” e diz que esta é "exatamente a razão pela qual a nação ibérica merece estar no radar (internacional)”.

A descoberta da nova realidade parece estar diretamente ligada ao protagonismo assumido pela presença portuguesa na última edição da Pitti Uomo, na cidade italiana de Florença, onde para além da participação de algumas empresas nacionais no certame, numa iniciativa promovida pela Selectiva Moda e pela ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, o país ganhou protagonismo como "Guest Nation".

Foi em Itália que Jonathan Evans, autor deste trabalho da Esquire, descobriu, assim, na oferta lusa traços de sustentabilidade, inovação e recuperação de artes antigas. Fala, por isso de uma “combinação especialmente potente de conhecimento técnico com perspetivas frescas”

Mais: percebeu que a tendência para uma produção de séries pequenas, mas especializada, é um dos atrativos do país, não só para as grandes marcas que querem uma pausa nas grandes encomendas colocadas a Oriente, mas também para os clientes que procuram propostas um pouco diferentes.

“Têm tradição e competências fantásticas na produçãoi”, diz Lapo Cianchi, diretor de comunicações da Pitti Imagine, a empresa que administra a Pitti Uomo, citado pela revista. E na escolha feita pela organização da feira para dar destaque ao país, na edição de janeiro, fala da descoberta de uma "nova criatividade" e de algumas marcas jovens "capazes de expressar melhor esta nova onda da moda portuguesa" que talvez possam ser vistas como "uma espécie de vanguarda para o florescimento da moda em Portugal”.

Para a Esquire, “a questão não é porquê Portugal? – nós sabemos essa resposta: as pessoas fazem roupas, sapatos e acessórios muito bons – mas, porquê agora?”. E neste caso, mais do que focar-se num momento específico, a resposta talvez passe por este facto simples: “o mundo finalmente reparou em Portugal”.

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.