Perfil

Vida Extra

Essência do Vinho compra a revista brasileira 'Gula'

A sociedade de Nuno Botelho, líder da Associação Comercial do Porto, e Nuno Pires adquiriu a revista 'Gula', especializada em vinho e gastronomia. A aposta dos novos donos é dar um maior foco ao vinho, não só português mas de todo o mundo. A publicação terá como editor o jornalista e crítico brasileiro Alexandre Lalas e estará de volta às bancas no segundo semestre deste ano

Isabel Paulo

Isabel Paulo

Jornalista

D.R.

A Essência do Vinho comprou a revista brasileira de enogastronomia 'Gula', aquisição que a empresa de organização de eventos da fileira do vinho e de gastronomia encara como “consequência lógica do trabalho que tem vindo a desenvolver no Brasil”, nos últimos anos.

“O negócio foi assinado na semana passada e culminou um longo namoro entre as duas partes. Começou tudo em 2018”, disse à Lusa Nuno Botelho, presidente da Associação Comercial do Porto e um dos dois sócios da sociedade Essência do Vinho (EV).

O preço que a EV pagou pela compra da 'Gula', revista de referência do sector no Brasil, “é confidencial”, afirmou Nuno Botelho, que justifica o sigilo devido a um acordo contratual”. “É um valor que achamos justo para o nosso retorno”, acrescentou o também diretor da EV.

A Essência do Vinho, que organiza desde 2004 um evento homónimo no Palácio da Bolsa, no Porto, e que os seus responsáveis descrevem como “a maior experiência do vinho” em Portugal, “ambiciona dar um novo fôlego à 'Gula'”, com maior enfoque no vinho do que na gastronomia.

Ao Expresso, fonte da empresa avança que a ideia passa não só por uma maior divulgação dos vinhos portugueses, espanhóis, italianos e franceses, sem esquecer os do novo mundo. No mercado brasileiro, o vinho chileno é o campeão das importações, seguido dos portugueses, que em 2017 se posicionaram à frente dos argentinos.

“Não faz sentido apostar só no nosso mercado, porque no Brasil consomem-se vinhos de todo o mundo”, adianta a EV. A 'Gula' surgiu em 1992 tendo por mote 'Comer bem é a melhor vingança', e transformou-se numa publicação histórica do mercado editorial brasileiro nas temáticas ligadas ao vinho e a gastronomia, apesar de a revista ter interrompida a edição em banca, nos últimos três anos.

Editada em diferentes formatos digitais, “onde conquistou mais de 189 mil seguidores e manteve padrões de notoriedade forte no vinho, na restauração, na hotelaria e no turismo”, segundo os novos proprietários, que querem, contudo, voltar à edição em papel no segundo semestre deste ano.

No ano de arranque, a 'Gula' regressa às bancas com uma ou duas publicações, sendo a meta a venda bimestral em papel a partir de 2021 ou 2022, a par do reforço de conteúdos digitais diários. O jornalista e crítico brasileiro Alexandre Lalas será o editor.

“Queremos replicar no Brasil o que fazemos em Portugal com a 'Revista de Vinhos', que a EV adquiriu a um grupo angolano em 2017, e já fazia antes com a 'Wine', publicação entretanto descontinuada”, referiu à Lusa Nuno Botelho, que quer com o sócio Nuno Pires “criar a melhor revista de vinhos no Brasil”.

Nuno Pires destacou à Lusa que “a concretização da compra da Gula também tem um lado emotivo forte”, dado a Essência do Vinho ter uma forte ligação ao Brasil quase desde a sua fundação, em 2004.

Nuno Pires (à esquerda) e Nuno Botelho (à direito) são os dois sócios da Essência do Vinho, empresa que pretende tornar mais portuguesa a "Gula" brasileira

Nuno Pires (à esquerda) e Nuno Botelho (à direito) são os dois sócios da Essência do Vinho, empresa que pretende tornar mais portuguesa a "Gula" brasileira

Fabrice Demoulin

Os dois sócios colaboraram na organização da primeira Expovinis, um certame direcionado para o mercado brasileiro e promovido pela Exponor, cuja primeira edição ocorreu em 2002 e que se tornou na “maior feira internacional da América Latina com vinhos de todos do mundo”. A EV surgiu dessa experiência acumulada no Brasil, país onde a empresa realiza regularmente eventos.

O acordo de comércio livre que a União Europeia e o Mercosul assinaram em 2019 pode dar um impulso adicional ao vinho português no mercado brasileiro e permitir-lhe ganhar quota de mercado ao vinho chileno, por via da redução das taxas aduaneiras e, em consequência, dos preços praticados no Brasil, segundo Nuno Pires.

Com a aquisição da 'Gula', a EV refere que passa a ser “líder na comunicação especializada em língua portuguesa em tudo o que está relacionado com o vinho e a gastronomia”.