Perfil

Vida Extra

Eneko Atxa, o chef sustentável, aterra em Lisboa

O cozinheiro basco, chef do Azurmendi, 14ª melhor restaurante do mundo e duas vezes considerado o mais sustentável do planeta, abre dois restaurantes este mês em Lisboa, no espaço do antigo Alcântara Café. Leia a conversa com o espanhol este sábado na Revista E do Expresso

Eneko Atxa, no espaço que irá receber os restaurantes Eneko Lisboa e Basque

Penha Longa Resort / Sílvia Martinez

Há um ano, o Penha Longa Resort, em Sintra, juntou uma estrela Michelin no seu novo restaurante, Midori, à que já tinha no LAB do catalão Sergi Arola. Agora, parece apostado em aumentar esta constelação com a abertura de dois novos restaurantes fora da unidade hoteleira: o Eneko Lisboa e o Basque, cuja abertura irá acontecer ainda este mês. O conceito vem do País Basco pela mão de Eneko Atxa, chef com cinco estrelas Michelin, três delas no Azurmendi, que subiu este ano ao 14º lugar da lista dos "World's 50 Best Restaurants" e já por duas vezes, a última das quais em 2018, foi considerado o restaurante mais sustentável do mundo.

D.R.

O Eneko Lisboa traz para Lisboa a filosofia do Azurmendi, mais fine dining, "mas com nuances locais", já que a aposta será nos produtos portugueses, explicou Atxa ao Expresso. Já no Basque a ideia é recriar o ambiente de uma tasca basca, com pratos para partilhar. “Terá coisas assadas em carvão, coisas que podes encontrar em bares, como as anchovas e a gilda [uma tapa tradicional com piparra, uma pimenta verde da região, anchovas e azeitonas], vinhos locais, como o Txacoli. Queremos que seja uma festa, sem protocolos."

D.R.

Aberto desde 2005, o Azurmendi ocupa um edifício capaz de gerar a sua própria energia através de painéis fotovoltaicos e de geotermia, com 18 perfurações a 125 metros de profundidade. A água da chuva é reutilizada para regar hortas, abastecer casas de banho e encher o depósito contra incêndios, os espaços estão desenhados para aproveitar ao máximo a luz natural, e não faltam pontos de carregamento para veículos elétricos . E, claro, todos os resíduos são reciclados. "Se amas o local onde vives, deves respeitá-lo", remata Atxa.