Perfil

Vida Extra

Alain Ducasse, o imperador que caiu do céu

Há 35 anos, foi o único sobrevivente de um acidente de avião que lhe mudou a vida. Hoje, é o nome maior da cozinha francesa, com 30 restaurantes em oito países, 21 estrelas Michelin, manufaturas de café e chocolate, dois hotéis, uma escola de cozinha, uma editora e 2000 empregados. Viagem ao coração do império de Alain Ducasse

Manuel Vazquez

No dia em que ganhou uma segunda vida, em agosto de 1984, Alain Ducasse entrou com três cozinheiros da sua equipa num avião bimotor Piper PA-23. Estava com pressa e, apesar do mau tempo, decidira voar de Saint-Tropez, na Riviera francesa, para a famosa estância de esqui de Courchevel, nos Alpes, onde se preparava para abrir um novo restaurante. Aos 27 anos, a vida sorria-lhe. Três meses antes, tornara-se o chefe mais jovem de sempre a conseguir uma segunda estrela Michelin no seu restaurante La Terrasse, em Juan-les-Pins, uma pequena cidade entre Nice e Cannes. A felicidade durou cinco minutos. “O que será preciso para conseguir a terceira?”, começou então a pensar. A sua sede de sucesso era insaciável.

A meio de viagem, preocupado com as condições atmosféricas, o piloto sugere aterrar em Lyon, mas, depois de conversar com os passageiros, acaba por decidir voar abaixo das nuvens para procurar maior visibilidade. A decisão revela-se trágica: a pequena aeronave encontra de frente uma montanha e o piloto não consegue evitar o embate. Quatro dos cinco ocupantes têm morte imediata. Só Ducasse sobrevive: cuspido para fora do aparelho através do cockpit, esperou quase sete horas pelas equipas de resgate.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso - iOS e Android - para descarregar as edições para leitura offline)