Perfil

Vida Extra

O novo restaurante de Olivier Costa saltou da Internet para um palácio. Mas já tem os dias contados

O Savage foi o primeiro restaurante virtual português. Agora vai ocupar um palacete lisboeta, pelo menos durante os próximos dois meses

D.R.

No início era o verbo. Mas o verbo deste início é uma amálgama de palavras em inglês, a língua proverbial do novo mundo do lifestyle, onde os restaurantes são cool antes mesmo de serem bons. Para perceber o mais recente negócio do chef-entrepeneur (o cozinheiro empreendedor, em bom português) Olivier Costa é preciso primeiro descontruir o nome: Savage Palace Takeover Pop Up. É tão longo que, só de o pronunciar, quase se chega ao fim com fome.

O Savage desta história é o restaurante virtual disponível desde janeiro apenas para encomendas no Uber Eats. A partir desta sexta-feira ganha também um espaço físico, o do antigo Petit Palais, no Palacete Medeiros e Almeida, na Rua Rosa Araújo, em Lisboa. Inaugurado em 2015, fruto de um investimento de mais de um milhão de euros, prometia ser "um espaço único, ao estilo dos clubes mais exclu­sivos de Londres, sofisticado e glamoroso”, mas foi perdendo gás e, nos últimos tempos, funcionava quase só para eventos, cada vez mais escassos.

Em breve, o palacete irá dar lugar a um hotel, mas, enquanto as obras não começam, Olivier decidiu tomar de assalto o espaço (daí o takeover) e instalar o novo Savage, aberto de segunda a quinta das 12h às 16h "para quem quiser comer com as mãos" e sextas e sábados até à meia-noite. Todos os dias, das 12h às 00h, está também aberto um serviço de take-away.

A carta inclui várias opções de burritos, tacos, sushi rools, hambúrgueres e muito mais. O conceito é "completamente cashless", o que significa que as mãos são para mexer na comida e não no dinheiro. Do que não se livra mesmo é de pagar a conta, seja por MB WAY ou cartão bancário.

O espaço pop-up deverá estar aberto dois meses ou algo mais, "se o começo da obra demorar". Até lá, o restaurateur (cozinheiro paridor de novos conceitos, numa tradução livre para a língua de Camões), dono de restaurantes como Olivier Avenida, Guilty, K.O.B., Yakuza e Seen, o novo espaço para ver e ser visto na capital, promete muitas novidades. Já este mês, o japonês Yakuza chega a Cascais e, em maio, o Guilty abre no Porto, onde o K.O.B, já estava desde 14 de Fevereiro. Se os astros se alinharem, podem ser que nasça até uma tasca portuguesa. Very typical, pois claro.