Perfil

Vida Extra

O Walkman para quem tem tudo

A opinião do editor de novas tecnologias da SIC, Lourenço Medeiros, em mais uma crónica "Futuro Extra"

Para usar com fios ou sem fios, com Net ou sem Net, mais pequeno e com Android 9 apenas a imagem no ecrã faz lembrar o Walkman original

O título devia ser o Walkman para quem tem tudo, bem mais de 40 anos e muito dinheiro para gastar. O Walkman, o original que foi quase uma revolução para toda uma geração, faz quarenta anos. Graças a máquinas portáteis, muito maiores do que os nossos telemóveis, mas que conseguíamos levar de um lado para o outro, podíamos finalmente transportar música personalizada.

Passávamos horas a piratear discos de vinil e cassetes para criar outras cassetes com listas de músicas personalizadas, rigorosamente catalogadas com a sua ordem na fita magnética. Estas cassetes eram até uma forma de partilhar gostos musicais entre amigos e, mais importante, entre amores novos, verdadeiras declarações, cascatas de canções devidamente registadas na esperança de que o outro ou a outra os interpretasse com tanta emoção como tinham de intenção.

Andavam a pilhas e eram o cúmulo da personalização. Cada Walkman era exclusivamente nosso, pelo conteúdo e muitas vezes pela decoração. Sofriam normalmente de esponjas escafiadas nos auscultadores, mas quem tinha dinheiro para andar sempre a comprar substitutos? Vieram depois os leitores de mini-discs com que eu sonhava a olhar para as montras, caríssimos, nunca cheguei a ter um, e os de CD’s também portáteis, mas o que marca a portabilidade, e sobretudo a personalização da música que podíamos trazer connosco, pela primeira vez, é o Walkman da Sony com as suas cassetes.

A Sony emprestou-me o gadget que lançou agora para comemorar os 40 anos deste seu ícone. É um pequeno aparelho Android uma espécie de pequeno telefone que não faz chamadas. Isso mesmo, tem acesso à Internet sem telefone. Dá pelo nome de NW-A105, já não digo mais nada sobre os nomes que a Sony dá às coisas. É felizmente muito mais pequeno que o Walkman original, serve para ouvir música, podemos instalar aplicações e até ver o mail se estivermos com rede wi fi, embora seja pouco prático com aquele tamanho. O que o aproxima do Walkman é a deliciosa imagem das cassetes que aparece quando pomos a tocar um ficheiro de música no leitor da Sony. A cassete muda conforme a música que pomos, e se andamos depressa para a frente ou para trás vemos mesmo a imagem das pequenas rodas de plástico a fazer o movimento, como faria uma cassete verdadeira, é lindo. Mas é só isso.

É demasiado fácil levar o Walkman aos limites

É demasiado fácil levar o Walkman aos limites

Usei o aparelho com os excelentes auscultadores WH-H910N (já disse que não quero falar sobre os nomes da Sony?), já digo mais sobre ele mas o teste que me interessava de facto foi, com os mesmo auscultadores , perante as mesmas músicas, neste leitor de 350€ com todos os selos de qualidade e o meu telefone, lamento dizer que não notei diferença nenhuma. Claro que o meu telefone é mais caro, mas nesse caso para que é serve andar com mais um aparelho que não me acrescenta nada? Em teoria a aplicação Walkman da Sony suporta uma enorme variedade de codificações em alta resolução e neste caso o tratamento de som deverá fazer a diferença. Eu testei com três serviços de streaming diferentes com a qualidade levada ao máximo, em cada um dos casos, o que é muito mais do que a maioria dos utilizadores fará. Não sou audiófilo, esta é a experiência de um utilizador banal, mas desconfio que um audiófilo a sério também preferirá outros equipamentos eventualmente ainda mais caros e que a marca vende.

Quanto aos auscultadores, são uma agradável surpresa e pude aproveitar para os testar até em viagens de avião. Diria que estão quase ao nível dos meus favoritos da Sony ( e os que comprei) os WH-1000XM, são mais coloridos, vêm num saquinho e não numa caixa, tem um ar menos premium mas mais alegre e moderno. Pode ser sugestão mas pareceram-me ligeiramente, muito ligeiramente, inferiores em termos de som e de certeza menos confortáveis porque a “almofada” é mais pequena. Ou seja exatamente o que seria de esperar porque são um pouco mais baratos, custam 300€, e mais modernos.

Os WH-H910N prometem 35 horas de música, nunca os consegui levar até ao fim mas devem chegar para dar conta do Walkman e ainda dar para uns filmes, o voo era só de 12 horas e meia (TAP Lisboa - S.Francisco)

Os WH-H910N prometem 35 horas de música, nunca os consegui levar até ao fim mas devem chegar para dar conta do Walkman e ainda dar para uns filmes, o voo era só de 12 horas e meia (TAP Lisboa - S.Francisco)