Perfil

Vida Extra

Como se (re)cria um creme mítico? Com mar e excentricidades

A colaboração do fotógrafo Mario Sorrenti e da sua filha com a La Mer é o ponto de partida da crónica Sem Preço desta semana, que revisita a mais misteriosa marca de cosmética

O projeto The Edge of the Sea leva o fotógrafo Mario Sorrenti e a filha numa jornada à beira do mar, o mesmo contexto onde o mítico creme nasce nos anos 50

Poucas são as marcas de cosmética que se enquadram no universo do luxo supremo. Menos ainda são aquelas que têm estatuto de mito e uma narrativa que permite vender cremes para o rosto com preços com três dígitos. A La Mer não só consegue estas duas coisas, como reúne agora, pela primeira vez, o histórico fotógrafo de moda Mario Sorrenti e a sua filha Gray (igualmente fotógrafa) para criarem duas edições limitadas do Crème de La Mer.

O projeto The Edge of the Sea leva pai e filha numa jornada à beira do mar, o mesmo contexto onde o mítico creme tem origem. É que o Crème de La Mer, o primeiro a ser criado pela marca, é feito a partir de algas fermentadas e constrói a sua narrativa em torno das propriedades regeneradora desta espécie marinha, que produz a sua própria energia através da fotossíntese. Um retorno ao mar é o que a dupla Sorrenti faz com os retratos a preto-e-branco, captados um ao outro, e que ilustram os frascos da edição limitada do Crème de la Mer by Sorrenti e a campanha publicitária.

Os dois frascos de edição limitada Crème de La Mer by Sorrenti (€290/60ml cada um) são ilustrados com retratos a preto-e-branco de Mario e Gray Sorrenti, captados um ao outro

Os dois frascos de edição limitada Crème de La Mer by Sorrenti (€290/60ml cada um) são ilustrados com retratos a preto-e-branco de Mario e Gray Sorrenti, captados um ao outro

Se as algas que servem de base ao creme são colhidas à mão na ilha Vancouver, colada à costa da cidade de Vancouver, no Canadá, a viagem de Mario e Gray decorre em duas localizações distintas: nas praias de Espanha e na ilha Saint Barth, no mar das Caraíbas. Ambos assumem a paixão pelo oceano e, em várias entrevistas, é recorrente referirem as memórias que têm dos verões passados na praia. Gray vai mais longe e revela que no início da adolescência roubava o mítico creme à mãe (a fotógrafa Mary Frey), para apaziguar as borbulhas. Este histórico familiar é uma narrativa que encaixa na perfeição com a La Mer, tornando esta parceria em mais uma forma de ganhar notoriedade no universo da moda e das celebridades.

Não é que a La Mer tenha propriamente falta de reconhecimento. Há muito que personalidades planetárias confirmam os benefícios regeneradores deste creme, que é considerado a quintessência da cosmética. Jennifer Lopez, Kim Kardashian, Sienna Miller, Kate Moss e Chrissy Teigen são algumas que o subscrevem, recebendo ou não benefícios financeiros para isso. A Internet revela uma legião de consumidoras anónimas, deslumbradas com os resultados do Crème de La Mer, mas também uma bloguer chinesa com mais de um milhão de seguidores que, em 2018, terá processado a marca. O motivo? Garante que as suas cicatrizes de queimaduras não melhoraram de aspeto, como seria de esperar, tendo em conta a origem deste creme.

Gray e Mario Sorrenti. Filha e pai trabalharam em conjunto na criação dos frascos da edição limitada Crème de La Mer by Sorrenti

Gray e Mario Sorrenti. Filha e pai trabalharam em conjunto na criação dos frascos da edição limitada Crème de La Mer by Sorrenti

Mas, afinal, o que é que faz deste creme (que custa €290/60ml) uma lenda? Reza a história (no site da La Mer) que tudo começa com um acidente laboratorial de um físico aeroespacial, de origem alemã. Max Huber sofre queimaduras graves no rosto e não descansa enquanto não encontra a fórmula perfeita para regenerar a sua pele. Ao fim de 12 anos de pesquisa, com 6000 experiências de fermentação de algas com outros ingredientes naturais, nasce o Crème de La Mer. Na sua base está o chamado ‘The Miracle Broth’, um elixir renovador celular que, no início, é feito a partir de algas recolhidas no mar da Califórnia, onde Max Huber está instalado na época.

Esta história, por si só, já é suficiente para criar a aura de mistério e milagre que o caracteriza. Fazendo uma pesquisa no Google com a palavra-chave ‘Crème de La Mer’ somam-se notícias e publicações que o elevam ao estatuto de mito. As histórias são muitas e giram em torno do processo de fabrico e da personalidade de Max Huber. A narrativa mais esotérica conta que Max Huber recorre à astrologia para fazer o alinhamento astral de cada lote do Miracle Broth, durante o processo de fermentação. Outro relato garante que depois da sua morte, em 1991, a Estée Lauder Companies terá contratado um médium para o contactar no além e ajudar a recriar a fórmula.

O grupo Estée Lauder recusa-se a fornecer à imprensa imagens de Max Huber, o que adensa o mistério em torno do fundador da La Mer. As poucas fotografias que existem na Internet têm pouca ou nenhuma qualidade, como a que aqui é publicada

O grupo Estée Lauder recusa-se a fornecer à imprensa imagens de Max Huber, o que adensa o mistério em torno do fundador da La Mer. As poucas fotografias que existem na Internet têm pouca ou nenhuma qualidade, como a que aqui é publicada

Mais. A fermentação é feita em tanques, durante três a quatro meses, e neste processo é utilizada a energia da luz pulsada e dos sons de água borbulhante, que alegadamente têm impacto nas reações químicas. A excentricidade que envolve o processo de fabrico é extensível ao próprio físico aeroespacial. Um dos mitos que circula na Internet é que Max Huber nunca existiu e que é uma criação do grupo Estée Lauder, enquanto narrativa de construção de marca. De facto, a empresa recusa-se a divulgar fotografias do fundador da La Mer e as poucas que surgem, pesquisando no Google, têm pouca ou nenhuma qualidade e é sempre a mesma. Uma notícia na Elle, em agosto de 2016, garante, porém, que a revista teve acesso ao obituário de Maxilimian Albert Huber, nascido fora dos Estados Unidos a 13 de janeiro de 1925 e falecido, em Los Angeles, a 5 de novembro de 1991.

Há relatos de editoras de beleza e de pessoas do circuito social nova-iorquino que garantem tê-lo conhecido pessoalmente. A condessa Lucienne von Doz, figura do jet-set internacional, conta que nos anos 80 se cruza várias vezes com Max Huber, em Nova Iorque. O comportamento excêntrico (comia o Crème de La Mer para provar que se trata de um produto 100% natural) e a pele de um rapaz de 12 anos que ostentava são as memórias que a condessa refere em várias entrevistas. O designer de moda Ralph Rucci recorda um jantar em West Village, no final dos anos 80, em que o mentor da La Mer pôs o creme em todos os lugares da mesa e disse aos convidados para o comerem, por ser ótimo para a digestão.

A fórmula ultra-concentrada para o pescoço e decote (€305/30ml) e a nova versão otimizada do sérum regenerador (€260/50ml) são as mais recentes novidades da La Mer

A fórmula ultra-concentrada para o pescoço e decote (€305/30ml) e a nova versão otimizada do sérum regenerador (€260/50ml) são as mais recentes novidades da La Mer

A bizarria deste creme (e do seu mentor) não se fica por aqui e teve desenvolvimentos. Desde 1995, ano em que integra o grupo Estée Lauder, o Crème de La Mer ganha novas texturas, mantendo a sua característica de hidratação e regeneração profundas. A formulação original que faz história na elite social nova-iorquina nos anos 80 é transposta para quatro versões: gel, creme suave, loção mate e loção refrescante. Desde o trabalho pioneiro de Max Huber até à atualidade vão sendo acrescentadas inovações: o Genaissance de La Mer (com cristais formados num tubo de ensaio) e o Genaissance Ferment (com algas vermelhas), por exemplo.

As novidades continuam até hoje e as duas mais recentes chegam este outono. A versão otimizada do sérum regenerador apresenta-se agora, dez anos depois da sua criação, com uma concentração maior do elixir original ‘Miracle Broth’, aquele que é fermentado com luz e som. Este novo sérum promete uma regeneração mais rápida da pele, mas não há relatos que seja coadjuvante na digestão, como Max Huber fez crer com o Crème de La Mer. O segundo lançamento, um creme para o pescoço e decote, quer ajudar a rejuvenescer a pele destas zonas mais sensíveis ao envelhecimento.

As imagens da sessão fotográfica de Maio e Gray Sorrenti são usadas numa campanha publicitária, que inclui uma exposição imersiva no museu de arte contemporânea Power Station of Art, em Xangai, até 25 de outubro

As imagens da sessão fotográfica de Maio e Gray Sorrenti são usadas numa campanha publicitária, que inclui uma exposição imersiva no museu de arte contemporânea Power Station of Art, em Xangai, até 25 de outubro

Da parceria com Mario e Gray Sorrenti nasce o Crème de La Mer by Sorrenti e, no futuro, haverá provavelmente quem tenha histórias excêntricas para contar sobre o encontro desta dupla com o mito da cosmética. A jornada da lenda da fotografia com a sua filha entre rochas e o mar é mágica e poética, territórios fertéis para a efabulação. O tempo ajuda a recriar histórias e a transformá-las em mitos. O Crème de La Mer nasce no mar e a ele retorna agora, como se o passado se quisesse sempre presente. Tal como o mito de Max Huber.

La Mer

Crème de La Mer (€290/60ml)

Sérum regenerador (€260/50ml)

Concentrado pescoço e decote (€305/30ml)

Disponível no El Corte Inglés (Lisboa e Gaia), Douglas, Perfumes&Companhia, Loja das Meias e outros pontos de venda com balcão da marca

https://www.lamer.eu/pt/pt