Perfil

Vida Extra

Beleza: pôr a complexidade na ordem

Helena Amaral Neto, professora no ISEG e responsável pelo curso executivo de luxo, tem nova entrada no Vida Extra. Saiba tudo sobre a beleza (e o poder da simetria)

Helena Amaral Neto

Helena Amaral Neto

Professora no ISEG

Venho de uma viagem por terras da Ásia Central que outrora foram metrópoles importantes no comércio entre o Oriente e o Ocidente, conhecida pela Rota da Seda. Impossível resistir à beleza destes monumentos impressionantes da arquitetura medieval. A Praça Registan em Samarcanda, com as suas 3 madraças imponentes, é provavelmente das praças mais bonitas do mundo. Talvez por ser a segunda visita ao Uzbequistão, o olhar estava mais focado nos detalhes decorativos destas obras, que combinam uma riqueza de mosaicos com padrões surpreendentes. É desta combinação ordenada de imagens complexas que resulta a harmonia e a beleza. Beleza tanto nos pormenores como na visão do todo.

Beleza que perdura no tempo, estética que apela aos sentidos – desde a antiguidade até a atualidade. Quais os ingredientes mágicos desta beleza intemporal?

Os filósofos gregos contribuíram para este debate com várias definições, mas Pitágoras foi pioneiro a desenvolver a relação entre a matemática e a beleza, baseada na simetria e na proporção divina. Este rácio dourado (conhecido por Phi ou 1,618) serviu de inspiração para a arte e arquitetura grega da Antiguidade – desde o Pártenon às estátuas dos Deuses gregos de Fídias (de onde vem o Phi) – passando pelo Renascimento com o Homem de Vitrúvio de Leonardo da Vinci, até ao século 20 com o modulor do arquiteto Le Corbusier.

Parece que os nossos cérebros humanos estão desenhados para procurar padrões no que vemos. E daí gostarmos de simetria. Está explicado porque somos atraídos por atores como Brad Pitt e George Clooney…têm as caras com maior simetria e proporções perfeitas de acordo com esta definição clássica de beleza.

Mas vivemos num mundo que valoriza cada vez mais os perfect imperfections. Esta é uma das características dos produtos de luxo, que os torna únicos e especiais. Quem compra um relógio de uma marca de alta relojoaria Suíça já sabe que vai atrasar uns minutos por ano…e que este atraso é garantia da autenticidade da marca, e parte intrínseca da sua aura de beleza. Porque quando falamos de luxo, falamos de personalidade e não de funcionalidade.

Se preferir horas certas, basta olhar para o seu iphone. Sir Jonathan Ive, o britânico responsável pelo design dos produtos da Apple, e referência do design atual, acredita na beleza da simplicidade: “I think there is a profound and enduring beauty in simplicity; in clarity, in efficiency. True simplicity is derived from so much more than just the absence of clutter and ornamentation. It's about bringing order to complexity.”

Parecem opostos - a riqueza decorativa das madraças da Praça Registan e a simplicidade do iphone – mas a beleza de ambos resulta de uma combinação de ordem e complexidade em proporções perfeitas.