Perfil

Vida Extra

Virabhadrasana? Sim, falamos da postura do guerreiro

Cristina Diniz traz-nos uma nova entrada da sua crónica sobre bem-estar, onde apresenta posturas (asanas) dedicadas ao poderoso guerreiro Virabhadra — criado a partir do cabelo de Shiva, divindade e fundador mitológico do Yoga.

Kumarasambhava (O Nascimento do Senhor da Guerra) é um famoso poema épico em sânscrito da autoria do poeta Kalidas. Reza a história da mitologia hindu que o grande rei Daksa celebrou em tempos um sacrifício para o qual não convidou nem a sua filha Sati nem seu marido Shiva, o chefe dos deuses. Apesar disso Sati compareceu ao sacrifício, tendo sido humilhada e insultada o que a levou a atirar-se ao fogo ardente acabando assim com a sua própria vida. Shiva, encolerizado, arrancou um cabelo das suas longas tranças e atirou-o ao chão como um raio fulminante. Daí nasceu um poderoso herói chamado Virabhadra que fielmente aguardou as ordens de Shiva.

Foi-lhe dito que comandasse o seu exército contra Daksa, que destruísse todos os poderes conferidos no sacrifício e que decapitasse o rei. E assim aconteceu! Shiva, com o coração destroçado por amor a Sita dirigiu-se ao monte Kailas, nos grandiosos Himalaias e mergulhou em profunda meditação. Volvido algum tempo Sati nasceu de novo, encarnada em Uma, a qual lutou pelo amor de Shiva tendo acabado por o conquistar.

As posturas (asanas) abaixo descritas são dedicadas ao poderoso guerreiro Virabhadra, criado a partir do cabelo de Shiva, divindade e fundador mitológico do Yoga.

Virabhadrasana A - A postura do Guerreiro A

Quando se pratica Asthanga Yoga a postura do guerreiro é feita a seguir ao V invertido (Adho mukha svanasana), fazendo parte de uma sequência rápida de posturas com um sentido encadeante e um propósito de facilitarem e abrirem caminho às que vêm a seguir. Vou, contudo, descrever a postura como se fosse construída isoladamente. Trata-se de uma postura muito vigorosa e de grande esforço físico.

Como fazer a postura:

Iniciar com os pés unidos, inspirar e dar um passo grande atrás com o pé direito, rodá-lo 30 graus para a frente, manter esta perna alongada. Expirar.

Rodar a bacia do lado direito para a frente, ajustar a pélvis e ancas de modo a que o tronco esteja o máximo voltado para a frente.

Inspirar, erguer os braços sobre a cabeça, unindo as palmas das mãos ou mantendo os braços afastados com as palmas das mãos viradas uma para a outra ou cruzando os dedos das mãos, apontando os polegares ao céu (Kali mudra). Ao mesmo tempo fletir a perna esquerda, joelho esquerdo a 90 graus e baixar a bacia. O joelho esquerdo deve procurar estar alinhado com o calcanhar e não devemos deixá-lo tombar para dentro.

Coluna vertebral direita, bem alongada, desde o sacro até à cervical, como se essa energia fluísse até à ponta dos dedos das mãos.

A perna de trás deve estar completamente ativa, alongada e devemos pressionar bem a parte exterior do pé direito no chão.

O olhar dirige-se para os dedos das mãos (drishti é a fixação do olhar num ponto específico, neste caso nos polegares). A cabeça deve descair apenas o suficiente para conseguir ver os polegares.

Contrair a musculatura abdominal (fazer uddiyana bandha). Manter a postura por 5 respirações completas.

Voltar ao ponto de partida no final da quinta respiração completa, inspirando e juntando de novo os pés. Repetir as indicações acima descritas, mas agora com a perna esquerda atrás e a direita fletida à frente.

Efeitos: o peito expande permitindo uma respiração profunda. Alivia a rigidez no pescoço, nos ombros e nas costas, tonifica os tornozelos e os joelhos e elimina gorduras junto à bacia.

Virabhadrasana B - A postura do Guerreiro B

Como fazer a postura:

Pés unidos à frente, inspirar e dar um passo grande com o pé direito atrás. A perna direita deverá manter-se bem ativa e tracionada e o pé rodado 30 graus para a frente com o rebordo exterior bem pressionado no chão. Podemos verificar e alinhar os calcanhares dos 2 pés.

O tronco fica de lado. Inspiramos e erguemos os braços paralelos ao chão e perpendiculares ao tronco, alinhados com os ombros, palmas das mãos para baixo. Energia nos braços até à ponta dos dedos, como se alguém nos puxasse as mãos dos lados opostos.

Expirando fletimos a perna esquerda, com o joelho a 90 graus, zelando para que este não se incline para dentro e se mantenha alinhado com o calcanhar esquerdo. Baixar a bacia.

Dirigir e fixar o olhar (drishti) no dorso da mão esquerda à frente.

Contrair a musculatura abdominal (fazer uddiyana bandha). Manter a postura durante 5 respirações completas.

Quando finalizar as 5 respirações, inspire e volte a unir os pés à frente, repetindo depois tudo para o outro lado, iniciando agora com a perna esquerda alongada atrás e a perna direita fletida à frente.

Efeitos: fortalece e modela os músculos das pernas. Alivia cãibras nas coxas e nos gémeos. Potencia elasticidade nos músculos das costas e das pernas e tonifica os órgãos abdominais.

Em ambas as posturas procuramos e fortalecemos a nossa alma de guerreiros, lutando e enfrentando a vida com determinação, respeito e a sabedoria que vamos adquirindo.

Boas práticas!

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.