Perfil

Vida Extra

Posturas de yoga para a tiróide

Cristina Diniz, como de costume à quarta-feira, traz-nos uma nova entrada da sua crónica sobre bem-estar

O yoga é considerado uma terapia complementar para várias patologias. Contribuí, com as suas posturas e exercícios respiratórios, para minorar também as disfunções da tiróide, glândula situada na base do pescoço, cuja importante função consiste em produzir, armazenar e libertar para o sangue as hormonas tiroideias, essenciais à vida das pessoas, pois regulam o metabolismo, a pressão arterial, a frequência cardíaca, o colesterol, e a temperatura do corpo; controlam também o nosso peso corporal, a força muscular e interferem até nos estados emocionais e na capacidade de memória.

Quase todos as pessoas têm as suas limitações físicas, isso não deve ser motivo de desespero nem para deixar de praticar yoga, caso seja uma atividade que faça sentido nas suas vidas.

Este artigo visa a partilha de algumas posturas físicas de yoga (ásanas) indicadas para pessoas que sofram de doenças da tiróide. O artigo não pretende descrever como praticar essas posturas, mas tão somente listar exercícios e programas de sequências, que professores de yoga e praticantes possam adaptar para beneficiar condições de saúde específicas. Não vão curar nenhum desequilíbrio da tiróide, nem a ideia é substituir terapias ou medicações que estejam a fazer, é simplesmente um complemento que lhes trará bem-estar acrescido, tanto mais que o stress está frequentemente associado aos problemas de tiróide e aqui o yoga é uma ajuda preciosa.

As poses que abaixo se descrevem, estimulam a garganta, melhoram a circulação e o fluxo de energia à volta da tiróide, além de alongarem e fortalecerem o pescoço.

Qualquer uma das posturas deve ser feita sob vigilância de um professor acreditado e o praticante deve ser consciencioso, cuidadoso, respeitar os seus limites e saber “ouvir” bem os sinais que o seu corpo lhe dá, parando sempre que houver desconforto.

Invertida sobre os ombros / Sarvangasana

É uma postura invertida e como tal ajuda a aumentar o fluxo de sangue para a garganta e estimula-o a fluir para as glândulas existentes na parte de cima do corpo. Acredita-se que tenha efeito positivo na eficiência e função da tireóide pelo modo como o queixo dobra sobre o peito. Excelente para hipotireoidismo e como tal melhora o funcionamento do organismo, deixando-o menos lento e reduzindo o cansaço e eventual depressão.

Pose do arado/ Halasana

A tireóide recebe o mesmo estímulo como na invertida sobre os ombros.

Postura do peixe / Matsyasana

É uma contra postura da invertida sobre os ombros e é muito efetiva na melhoria da função da tireóide. Deixar descair completamente a cabeça para trás estimula a tireóide através duma grande exposição da zona da garganta.

Postura das pernas contra a parede / Viparita Karani

Postura invertida restaurativa sem causar pressão no pescoço e que repõe o equilíbrio da tireóide, além de ser óptima para alívio do stress.

Postura do gato / Marjariasana

Os movimentos fluídos da postura do gato estimulam a tireóide. Trazer o queixo ao peito na postura convexa e depois abrir o peito na postura concava e expor o chakra da garganta fazem com que o fluxo de sangue aflua a esta zona. Beneficia a circulação do fluido cerebrospinal, aumentando a energia. A ideia é focar a atenção na zona do pescoço ao movermo-nos nesta pose.

Postura do barco / Navasana

A posição do pescoço tem influência positiva na tireóide. Deve manter-se as costas direitas e não colapsar para trás.

Postura do camelo / Ustrasana

A ampla extensão do pescoço obtida nesta postura estimula a glândula tireóide e aumenta a circulação sanguínea nesta zona.

Postura da cobra / Bhujangasana

Causa uma suave estimulação na glândula da tireóide e na garganta. Também podemos fazer suaves torções com a cabeça de um lado para o outro, olhando sobre um ombro e o outro e até focar o olhar nos pés lá atrás.

Postura da roda / Chakrasana ou Urdhva Dhanurasana

Trabalha a abertura do coração, estimula o fluxo de energia na tireóide uma vez que há uma abertura na zona do pescoço. O alongamento do peito e pulmões proporciona energia acrescida. Além de estimular as glândulas da tireóide e pituitária, fortalece os braços, pernas e coluna vertebral.

Deitado em decúbito dorsal / Savasana

É uma postura que parece fácil, mas na verdade e das mais difíceis para alguns pois o corpo deve ficar completamente imóvel, enquanto a mente está ativa e consciente. Permite que o corpo relaxe, abandonado, e descanse completamente. Ajuda a tomar consciência de alguns pontos de tensão que possam existir no corpo ou até focar a atenção na respiração, embora a ideia fundamental seja mesmo descontraír e deixar de controlar seja o que for.

Em suma, o yoga pode trazer benefícios à tireóide porque tanto as posturas físicas como os exercícios respiratórios variados induzem ao relaxamento e ajudam a diminuir o nível de stress, o que se revela de extrema importância para a saúde desta glândula.

Os aspetos benéficos registados incluem redução da fadiga e das dores musculares. Os exercícios de yoga alongam e relaxam a zona do pescoço, onde se localiza a glândula da tireóide.

Alerta: os programas de exercícios de yoga para a tireóide devem iniciar-se gradualmente, com cautela e após avaliação médica.

Resta clarificar que qualquer uma das posturas acima descritas não se limitam a quem sofra da patologia mencionada, como tal podem e devem ser praticadas por todos nós.

Boas práticas!