Perfil

Vida Extra

A vida nas nossas mãos

Em tempos agitados, Cristina Diniz quer recentrar o foco. Esta é a crónica sobre bem-estar do Vida Extra, sempre à quarta-feira

D.R.

Deparei-me noutro dia com uma prece matinal muito antiga da Índia, que achei deveras simples e linda. Ocasionalmente, quando pratico sozinha ou guio aulas de yoga, relembro essa revelação e acho que é uma inspiração.

Nas palmas das nossas mãos estão representadas três formosas deidades. Na base da palma da mão reside Gauri, a deusa que nos protege e que confere saúde, energia e força. No meio da palma da mão reside Saraswati, a deidade que representa e confere conhecimento, aprendizagem, um discurso apropriado, é também a deusa das artes e da música. Na ponta dos dedos reside Laksmih, a divindade que atribui prosperidade e beleza.

É recomendado que se inicie o dia olhando as nossas mãos, tendo presente esses atributos que efetivamente creio que todos valorizamos.

Pessoalmente, gosto de unir as palmas das mãos e ter consciência do quanto é bom termos saúde e energia para simplesmente agirmos, realizarmos as atividades quotidianas, estudarmos, aprendermos, estarmos recetivos a mudar, nos desenvolvermos e crescermos, permitindo assim que o nosso percurso seja feito de escolhas ponderadas e inteligentes, as quais por sua vez contribuem para nos conduzir a caminhos favoráveis, a gerar e a manter uma vida de prosperidade, abundância e beleza.

Não é isso que todos na verdade apreciamos? Se é, que tal experimentar este gesto físico e a atitude mental no início, meio ou final da sua prática de yoga?

É simples: inspire profundamente e estique os braços para os lados, alinhados com os ombros, expire lentamente, com nova inspiração, erga os braços sobre a cabeça unindo as palmas das mãos em Anjali mudra (palmas das mãos unidas), expire e simultaneamente desça os braços e mãos unidas à frente do tronco. Os cotovelos tocam-se, os antebraços mantem-se unidos e assim perduram ambos. Inspire e afaste as palmas das mãos, expire e una as palmas das mãos, repetindo este último gesto algumas vezes.

Fisicamente está só a fazer isto, mas os benefícios são o alongamento da musculatura das costas, além de que é um excelente exercício para quem tem síndrome do canal cárpico, pois há extensão do ligamento, dos tendões e nervos do pulso.

Espiritualmente, tenha consciência e dê valor à perfeição que é ter saúde e força para poder trabalhar, aprofundar conhecimentos e crescer e saiba que tal contribui e muito para viver uma vida próspera e bela.

Ao finalizar afaste completamente as palmas das mãos, mantendo cotovelos, antebraços e pulsos unidos e repouse gentilmente o seu rosto nas suas mãos, afagando as faces, sentindo o calor das mãos, conferindo a si mesmo carinho e apoio.

Feche os olhos, experimente um suave sorriso e respire calma e profundamente.

Boas práticas.

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.