Perfil

Vida Extra

“Cats” escaldado no cinema. “A pior coisa que aconteceu aos gatos depois dos cães”

A adaptação cinematográfica de “Cats” revelou-se um desastre. O realizador confessou ter terminado a edição horas antes da estreia e já ordenou uma nova versão para corrigir os efeitos visuais

A expectativa para ver, este fim de semana, no grande ecrã a adaptação cinematográfica do emblemático musical de Lord Lloyd Webber era elevada. “Cats”, realizado por Tom Hooper e orçado em 117 milhões de euros, era um dos filmes mais aguardados do ano.

O sonho de transportar a obra para a sétima arte rapidamente se transformou num pesadelo, tão grande que pela primeira vez na história do cinema um filme terá uma versão atualizada já depois de ter estreado.

Tudo porque o coro de críticas aos efeitos visuais — em falta em várias cenas — assumiu o protagonismo. As reações foram mordazes, com comentários que consideram o trabalho de Tom Hooper, vencedor do óscar de melhor realizador em 2011, “a pior coisa que aconteceu aos gatos [cats] depois dos cães”.

A polémica instalada levará mesmo a uma reedição urgente do filme, como já anunciou a Universal Studios. Os “updates” com os efeitos visuais “aprimorados” foram ordenados pelo próprio realizador, que admitiu ter acabado a edição da versão projetada nas salas apenas algumas horas antes da estreia.

O fracasso refletiu-se também nas receitas de bilheteira durante o primeiro fim de semana de exibição. “Cats” arrecadou apenas 10 milhões de euros, um valor irrisório quando comparado com os 337M€ que o último filme da saga Star Wars, lançado no mesmo dia, conseguiu lucrar.

O filme chega às salas de cinema nacionais no dia 26 de dezembro.