Perfil

Vida Extra

Vida de Amadeo de Souza-Cardoso recriada no cinema

"Amadeo", protagonizado por Rafael Morais, tem estreia agendada para 12 de novembro de 2020

D.R.

O realizador português Vicente Alves do Ó está a filmar uma longa-metragem biográfica sobre Amadeo de Souza-Cardoso, "um artista fascinante que não pediu licença para existir", contou o cineasta à agência Lusa. A rodagem começa no dia 14 e terminará a 18 de dezembro, com filmagens em Lisboa, Óbidos, Sintra e Caldas da Rainha.

"Tinha um sentimento muito pouco fatalista, pouco provinciano e pouco depressivo. Combateu o clichê do artista modernista, boémio, excessivo, da noite, fugiu ao clichê do artista maldito", descreveu Vicente Alves do Ó.

"Amadeo" é protagonizado pelo ator Rafael Morais, à frente de um elenco que conta ainda com Ana Lopes como Lucie Pecetto, a mulher do pintor, e ainda José Neves enquanto Almada Negreiros, Carla Chambel como Sarah Affonso, João Cachola como Modigliani, e ainda Ana Vilela da Costa, José Pimentão, Lúcia Moniz, Manuela Couto, Rogério Samora, Mariana Pacheco e Eunice Muñoz.

Está ainda por anunciar quem fará de Pablo Picasso, de quem foi também contemporâneo no percurso modernista.

Com estreia marcada para 12 de novembro de 2020, "Amadeo" tem produção da Ukbar Filmes, com um orçamento superior a um milhão de euros, apoio do Instituto do Cinema e Audiovisual, RTP, do Fundo de Turismo e Cinema e da Fundação Calouste Gulbenkian.

Vicente Alves do Ó, que volta a fazer um filme biográfico depois de "Florbela" (2012) e "Al Berto" (2017), explicou que a abordagem em "Amadeo" será como "montar um puzzle, mais imagético do que literário", inspirado na época e na obra do pintor e baseado em acontecimentos ocorridos entre 1911 e 1918, entre Paris, Manhufe e Espinho.

De acordo com o realizador, serão recriados momentos como aquele em que Amadeo de Souza-Cardoso apresentou os primeiros trabalhos no atelier em Paris em 1911, mas também a relação com os artistas Robert e Sonia Delaunay, a exposição no Salão de Festas do Jardim Passos Manuel, no Porto em 1916, e o período que antecede a morte em 1918, aos 30 anos.

O filme terá distribuição pela NOS Audiovisuais na rede comercial, mas estão planeadas exibições em auditórios municipais e cineclubes e sessões escolares para o ensino básico e secundário.

Amadeo de Souza-Cardoso nasceu em Manhufe, Amarante, em 14 de novembro de 1887, estudou Arquitetura na Academia de Belas-Artes de Lisboa antes de viajar até Paris, em 1906.

Na capital francesa, conhece e convive com várias figuras fundamentais da arte do século XX, com particular destaque para Modigliani. Expôs nos EUA, em 1913, ao lado de nomes como Braque, Matisse, Duchamp e Gleizes, como recorda a biografia disponível na página da Gulbenkian.

Amadeo de Souza-Cardoso morreu, em Espinho, em 1918.