Perfil

Vida Extra

Colheita com notas de Bryan Ferry, Seu Jorge, Xutos e Mariza servida em Lamego

A primeira edição do festival Wine & Music Valley realiza-se este fim de semana em Lamego. Música, vinho e gastronomia são as especialidades de menu cultural

Bryan Ferry é o grande destaque do Wine & Music Valley. O artista britânico de 73 anos sobe ao palco às 22h deste sábado.

Gus Stewart /Getty Images

A semente para um novo festival foi lançada na região do Douro e assim nasceu, em Lamego, o Wine & Music Valley. A colheita da primeira edição do evento é aberta este sábado e domingo, aromatizada com notas de Bryan Ferry, Seu Jorge, Xutos e Pontapés, Mariza e Salvador Sobral. O grupo Wet Bed Gang também “Devia Ir” ao Porto Comercial de Cambres, e vai mesmo, tal como António Zambujo, Carolina Deslandes, HMB ou Fogo Fogo, entre outros artistas que figuram neste brinde à música, aos vinhos e à gastronomia.

“Conhecemos outros festivais, nomeadamente nos Estados Unidos, com um formato semelhante a este. Achamos que um país tão reconhecido pelos vinhos devia ter um festival assim”, explica Ricardo Acto, representante da “Better World”, empresa que organiza o Rock in Rio e que presta apoio à produção do Wine & Music Valley.

O responsável destaca a “forte presença da música nacional” numa oferta “com grandes nomes para chamar o público e ao mesmo tempo dar palco a artistas emergentes, para que as pessoas possam descobrir novas coisas”.

Mais do que um festival, o Wine & Music Valley assume-se como uma experiência sensorial, pois para Ricardo Acto “a grande originalidade é estar junto ao Rio Douro, numa paisagem incrível”.

D.R.

O recinto conta com dois palcos dedicados à música (Douro Stage e Wine Stage), aos quais se junta um outro onde a gastronomia é headliner (Chef’s Stage). Por lá vão passar Rui Paula, Vítor Matos, Pedro Pena Bastos, Tiago Moutinho, Tiago Bonito, Miguel Castro e Silva, além de Luis Gutierrez, um dos mais aclamados críticos de vinhos. Durante os “showcookings” deste sábado à noite, Fernando Alvim vai animar o público com música.

Se pretende divertir-se na Roda Gigante ou trepar uma parede preparada para fazer escalada, o melhor é fazê-lo antes de se entregar aos prazeres de Baco. É que dentro do certame há também uma “Wine Village”, onde 90 produtores vinícolas vão divulgar e dar a provar os vinhos da Região Demarcada do Douro.

D.R.

“O objetivo é que as pessoas possam vir passar o fim de semana, ou mesmo mais alguns dias, de forma a descobrirem um pouco mais do Douro”, conclui Ricardo Acto.

Os bilhetes diários para o festival têm um custo de 25 euros, enquanto o valor dos passes-gerais se fixa nos 40€.

A programação integral, horários dos concertos e outras informações podem ser consultadas AQUI.