Perfil

Vida Extra

Comic Con começa quinta-feira: sete perguntas e respostas para compreender o maior evento da cultura pop

Paulo Rocha Cardoso fala ao Vida Extra sobre a edição deste ano da Comic Con Portugal

A que se deve o sucesso e o crescente número de visitantes em cada edição da Comic Con Portugal?

A Comic Con Portugal foi criada em 2014 com o objetivo de reunir os fãs da Cultura Pop num evento extraordinário onde, uma vez por ano, pudessem partilhar a sua paixão por este universo e serem quem quiserem, um dos motes deste evento. Como maior evento de cultura pop do país, procuramos em todas as edições surpreender os fãs com o apoio da indústria, procurando trazer ao evento as referências do momento, assim como proporcionar um conjunto de ativações únicas. Para além disso, a Comic Con Portugal é um evento que possibilita aos fãs conhecerem e interagirem com muitos dos seus ídolos, que todos nós temos. Acho que o nosso sucesso vem muito disso, de oferecermos o que as pessoas querem receber e de proporcionarmos momentos e experiências únicas e inesquecíveis e para um público bastante abrangente.

Os portugueses estão mais atentos à cultura pop?

A cultura pop está em todo o lado, todos os dias da nossa vida: nos filmes de infância, nas séries e filmes que vemos, nos livros que lemos ou nos jogos que jogamos. Mesmo que as pessoas não se apercebam disso e não sejam capazes de o reconhecer porque por vezes ainda há alguma confusão face ao que se pode considerar como “cultura pop”, acho que há uma atenção e interesse crescente em Portugal para isso.

Como é feita a escolha das personalidades e marcas a trazer: é uma decisão feita a nível internacional ou apenas local?

Nós ajustámo-nos à indústria e aos títulos que fazem sentido em Portugal. Na preparação de cada edição, reunimos com a indústria nacional para perceber os lançamentos e as estreias previstas para esse ano e em paralelo vamos acompanhando sempre o mercado internacional. Queremos que o nosso público se identifique com os nossos conteúdos e que lhes faça sentido.

Quem é que gostava de trazer a Portugal e ainda não foi possível?

Desde a primeira edição tentámos que Stan Lee marcasse presença no evento mas nunca foi possível. Foi um dos grandes ícones no mundo da cultura pop! Foi um dos mais notáveis criadores de histórias de banda desenhada, responsável por alguns dos maiores super-heróis e vilões da Marvel Comics. Uma vez que esse convite não poderá ser feito mais, fez-nos todo o sentido que esta edição fosse marcada pela “Homenagem a Stan Lee”, representado em vários conteúdos e espaços do evento, a começar pelo pórtico de entrada no recinto, que tem como pano de fundo a cidade imaginária de Nova Iorque, idealizada por Stan Lee.

O que traz a nova edição de inovador face ao ano passado?

Para além desta “Homenagem a Stan Lee”, vamos apresentar um espaço renovado, dividido em três grandes áreas: Área Comercial, Experiências e Programa/Auditórios, com conteúdos de 10 temáticas diferentes - Cinema, Televisão, Banda Desenhada, Literatura, New Media, Anime&Manga, Cosplay e Comic-Con Kids. Temos grandes convidados nacionais e internacionais confirmados nas diversas áreas, como Millie Bobby Brown, a protagonista de “Stranger Things”, Alexander Ludwig da série “Vikings”, Benedict Wong ator de “Doutor Estranho”, “Vingadores: Guerra do Infinito” e “Vingadores: Endgame”, da Marvel Studios e da série de sucesso “Deadly Class”, do Syfy, entre muitos outros. O designer português da LEGO®, César Carvalhosa Soares, vários dos principais influencers nacionais, como o Tiagovski, a Disney que estará a fazer um casting de vozes para o grande sucesso de animação, Frozen II – O Reino do Gelo, Leonor Grácias, uma das mais conhecidas e antigas cosplayers nacionais, irá apresentar o seu livro sobre o tema “Manual de Cosplay”, entre muitos outros conteúdos e convidados.

A mudança para o Passeio Marítimo de Algés mostrou-se vencedora? Ainda há espaço para continuar a crescer?

Um dos principais motivos da mudança foi sem dúvida a necessidade de expansão da marca e do evento em si devido às expectativas dos visitantes/fãs e também a um crescimento e aposta da indústria na Comic Con Portugal. Um recinto como este no Passeio Marítimo de Algés, construído de raiz, com perto de 100.000m2, dá-nos um leque de possibilidades enormes. Foi uma aposta ganha, com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras e que procuramos melhorar para esta edição de 2019, de acordo com o feedback que recebemos dos visitantes da edição do ano passado.

Os festivais de música nacionais têm vindo a captar cada vez mais visitantes estrangeiros. Sente isso em relação à Comic Con Portugal?

Sem dúvida, muito do nosso público são estrangeiros que reconhecem o valor dos conteúdos que apresentamos na Comic Con Portugal e querem participar. Sabemos que muitos vêm de propósito para este evento anual, que já figura no calendário de principais eventos internacionais.