Perfil

Vida Extra

Woodstock: 50 anos com discos mas sem o festival

Este ano não haverá música ao vivo

Ninguém esperava o meio milhão de almas que, entre 15 e 17 de agosto de 1969, se instalaram numa quinta da pequena cidade rural de Bethel (no estado de Nova Iorque) para viver três dias de paz, amor e música. Estas palavras ficaram inscritas na mitologia de um acontecimento que teve na música a sua razão de ser, mas que se revelou sobretudo como manifestação de uma sociedade de hábitos e ideias em plena mutação. Chamou-se ao festival Woodstock, se bem que na verdade esse era o nome de outra cidade, um pouco mais a nordeste no mesmo estado... E era em Woodstock que, por aqueles dias, vivia Bob Dylan. A “manipulação” do jogo entre o nome do festival e sua geografia (convenhamos que usar a afinidade com Dylan era um trunfo) foi por isso a primeira peça num jogo que cedo teve em conta outra realidade importante: a captação das imagens. E podemos em parte dever ao documentário “Woodstock”, de Michael Wadleigh, estreado internacionalmente em 1970 (mas que só chegou ao circuito comercial português em 1975), a fixação na história da cultura popular não apenas de atuações históricas como as de Richie Havens, Santana ou Jimi Hendrix, mas também as cenas do quotidiano (desde os idílios de paz e amor ao caos de lama, trânsito ou distribuição de comida) no recinto do festival. O Festival de Woodstock não foi o primeiro da história. Houve vários antes, alguns até com dimensões consideráveis, como foi o caso de Monterey (Califórnia), com uma primeira edição em 1967 que convocara dezenas de milhares para ver atuações de nomes como Otis Redding, Simon & Garfunkel ou de futuros ‘heróis’ de Woodstock, como os The Who ou Jimi Hendrix. A multidão, as tempestades, os engarrafamentos nas estradas, a dimensão estética e política da música (com a guerra no Vietname várias vezes em evidência) e, depois, as imagens, fizeram de Woodstock um marco da própria narrativa cultural e social do século XX.

Para ler o artigo na íntegra clique AQUI