Perfil

Vida Extra

Zigurfest: A romaria das futuras paisagens musicais acontece em lugares do passado

Filipe Sambado & Os Acompanhantes de Luxo, Glockenwise ou o concerto inédito que junta os ritmos de Krake ao timbre visceral e predatório de Adolfo Luxúria Canibal são alguns dos destaques do festival Zigurfest, realizado em Lamego, entre 21 e 24 de agosto

José Caldeira

“Em cada rua um palco, em cada palco uma descoberta”. É este o mote para a nona edição do Zigurfest, realizado entre 21 e 24 de agosto, com o coração de Lamego aberto para receber mais de 30 artistas. O festival faz do encontro exploratório com o disruptivo uma tradição já consolidada, assente na aposta de um cartaz inteiramente nacional, no qual, ano após ano, os nomes nunca se repetem.

A programação de 2019 conta com Filipe Sambado & Os Acampanhantes de Luxo, Glockenwise, com o concerto inédito que junta os ritmos de Krake ao timbre visceral e predatório de Adolfo Luxúria Canibal, além de Chinaskee, Odete, Jasmim, Violeta Azevedo, Algumacena, entre muitos outros.

Adolfo Luxúria Canibal junta-se ao baterista Krake para um concerto inédito no Zigurfest

Adolfo Luxúria Canibal junta-se ao baterista Krake para um concerto inédito no Zigurfest

D.R.

“Trilhamos o caminho do risco que se quer saudável, de forma paciente e a querer olhar em frente sob o signo da descoberta, do novo, do desafiante. É por isso que aqui a música e a arte se apresentam sem rótulos nem géneros, apenas com a urgência de serem vistas”, descreve a associação Zigur Artists, organizadora de um festival inteiramente gratuito, “onde todos são cabeças de cartaz”.

O evento que serve de montra a músicos portugueses emergentes no panorama alternativo cruza-se, durante quatro dias, com a romaria que a cidade celebra em honra de Nossa Senhora dos Remédios, num convívio harmonioso entre a arte contemporânea e a cultura popular.

O Zigurfest assume-se, desta forma, também como um convite para descobrir o património histórico e os recantos que surgem ao virar de cada esquina lamecense. Os palcos, distribuídos pela cidade, proporcionam uma odisseia que leva o público a encontrar espetáculos no Teatro Ribeiro Conceição, no Museu de Lamego, na Rua da Olaria, no Parque Isidoro Guedes e, pela primeira vez, no interior do Castelo de Lamego.

A programação integral e outras informações úteis podem ser consultadas AQUI.

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.

  • Filme francês evoca caso de pedofilia
    10:54

    "Graças a Deus" evoca um caso de pedofilia que abalou a sociedade francesa, tendo como protagonista um sacerdote católico — com realização de François Ozon, é a principal estreia da semana. João Lopes comenta ainda o lançamento de "Coração Negro", de Rosa Coutinho Cabral; no DVD, surge em destaque a edição de um conjunto de curtas-metragens assinadas por Fernando Lopes.

  • "Só Chove e é Rápido" no Teatro do Bairro
    5:50

    No dia em que os agentes culturais decidiram sair à rua em protesto contra o modelo de apoios do Estado para a cultura estreia um espetáculo feito sem financiamento do Ministério da Cultura. Com texto, encenação e interpretação de Francisco Tavares, "Só Chove e é Rápido" pode ver-se no Teatro do Bairro, em Lisboa. Francisco Tavares foi o convidado do Cartaz.