Perfil

Vida Extra

Quem é o homem de vermelho nos Painéis de São Vicente? O mistério está perto de ser desvendado

É o maior mistério da arte portuguesa. Um fresco descoberto numa velha ermida em Huelva pode encerrar de vez a discussão sobre quem é a misteriosa figura nos Painéis de São Vicente

Vítor Serrão

HISTORIADOR DE ARTE. CENTRO ARTIS-IHA-FLUL FOTOGRAFIAS

Tiago Miranda

Tiago Miranda

Fotojornalista

Tiago Miranda

Num ermo a cerca de vinte quilómetros da vila de Almonaster La Real, junto ao leito do rio Odiel, não muito longe de Huelva, mesmo nas faldas da serra de Aracena, ergue-se uma singular capela medieval — o Santuário de Santa Eulália. Numa das paredes da ermida encontra-se um conjunto de frescos postos a descoberto em novembro de 1971, durante obras de restauro patrocinadas pela Dirección General de Bellas Artes. As pinturas deste ciclo mural, intervencionadas no ano seguinte com amplos refazimentos a seco, são consideradas dos finais do século XV ou do início do século XVI. Entre as várias representações hagiológicas afrescadas nas paredes está uma que representa São Vicente Mártir.

Para ler o artigo na íntegra, clique AQUI.

Siga Vida Extra no Facebook e no Instagram.

  • Sérgio Praia: “Houve tanta mentira e tanta gente que se aproveitou do António”

    “Variações”, a primeira longa-metragem de João Maia, com produção da “David & Golias”, estreia esta quinta-feira. A voz e o rosto da celebração são os de Sérgio Praia que, em entrevista ao Vida Extra, retrata um António determinado e frágil, “envergonhado e que falava baixinho”, cosmopolita e rústico, um “animal de caça” que adorava Iggy Pop e um homem simples “devoto de pataniscas com arroz de feijão, que preferia comer à mão”. Foram 12 anos calcorreados ao encontro de um artista “maltratado, apontado e apedrejado”, tornado “santo” depois da morte, com o único “vício de nunca ficar”

  • Vozes do Rio invisível

    No seu livro de estreia, o escritor carioca Geovani Martins escreve contos intensos, mas desiguais, sobre a vida nas favelas do Rio de Janeiro

  • Uma mulher feliz

    Moderna antes do tempo, Lou Andreas-Salomé domina os salões de uma Europa em plena Belle Époque. À vontade na felicidade e na beleza, arrasa corações e sobe degraus na sabedoria à medida que se envolve com os homens da sua vida. Avessa a convenções, livre e ousada, avança pelo mundo da psicanálise para justificar a sexualidade, a religião e o amor. Nietzsche, Rilke e Freud foram seus aliados