Perfil

Vida Extra

Benicio del Toro e Paul Dano escapam da prisão com a ajuda de Patricia Arquette

É a realidade de uma fuga da prisão a emprestar uma história à ficção e um elenco de luxo a juntar-se para uma minissérie norte-americana apresentada em Cannes. “Escape at Dannemora” estreia-se amanhã no TVSéries

Agora não tem como esconder o orgulho que sente, mas no início esteve quase para ficar fora daquele que viria a ser o seu projeto maior. Inicialmente, Ben Stiller tinha rejeitado a proposta apresentada pelos argumentistas e cocriadores Brett Johnson e Michael Tolkin, só que depois tudo mudou para o ator e realizador. Se a primeira versão, apresentada menos de um ano após os acontecimentos foi descartada — “Perguntei que parte era verdade e responderam-me que tinham inventado uma boa parte”, revelou Stiller durante o MIPCOM em Cannes, confessando que se sentia incapaz de dar corpo a uma história de fuga inventada —, rapidamente chegou o tempo de novas informações serem divulgadas. Tratava-se de um relatório pormenorizado sobre os acontecimentos, da autoria da inspetora-geral Catherine Leahy Scott. “Ficámos muito animados ao lê-lo”, recordou Stiller, que logo se vinculou a uma nova versão do projeto.

Começaram do zero, com uma leitura exaustiva do relatório e foi esta a fonte principal para a criação da série, que não ganhou corpo sem algumas visitas ao estabelecimento prisional de Dannemora. Depois a inspiração veio de locais diversos e histórias de outros tempos, de que são exemplos o filme “Dog Day Afternoon” (de 1975 e assinado por Sidney Lumet) ou a aclamada série “True Detective”, de Cary Joji Fukunaga.

Agora era a valer, mas dar vida ficcional a uma história verídica como esta trouxe outros desafios aos responsáveis por “Escape at Dannemora”. Retratar uma fuga de um estabelecimento prisional poderia levantar um sem-número de questões sobre a forma como o sistema de prisões norte-americano funciona, no entanto não era nesse sentido que os argumentistas e produtores queriam ir. De modo a que a narrativa pudesse agradar a um número maior de telespectadores — além da exibição em solo norte-americano no Showtime, a ideia era apostar numa distribuição global extensa através da CBS —, foi necessário centrar a ação mais nas personagens do que nas questões políticas e essa parece ser uma aposta ganha.

Benicio del Toro dá corpo ao assassino condenado Richard Matt, enquanto Paul Dano interpreta Davis Sweat (condenado pelo homicídio de um polícia) e Patricia Arquette é Tilly Mitchell — “uma mulher e mãe da classe trabalhadora que supervisiona a alfaiataria da prisão e que mantém um caso com os prisioneiros, tendo concordado em esconder lâminas em hambúrgueres congelados para os ajudar a sair”, como expressa o texto que acompanha o lançamento da série.

Apesar da força da história, nem todos os atores se mostraram disponíveis para o projeto desde o início e convencer Benicio del Toro foi uma tarefa árdua, ao contrário de Patricia Arquette, que está escalada desde o início. Agora apresentam-se na minissérie de sete episódios, com estreia marcada para amanhã pelas 23 horas no TVSéries.

A carregar...