Perfil

Vida Extra

Carlos Vaz Marques deixa a Granta. Pedro Mexia é o novo editor em Portugal

A direção da revista passa a ser bicéfala, com um editor em Portugal e outro no Brasil

Antonio Pedro Ferreira

Carlos Vaz Marques deixa o aviso no último número da Granta por si dirigido, que estará nas livrarias a 26 de outubro: “Chega ao fim, com este número, por vontade minha, a minha ligação à Granta. Depois de dez edições em Portugal e mais duas já dos dois lados do Atlântico, publicadas simultaneamente em Portugal e no Brasil, é tempo de me dedicar a outros projetos. A Granta já se implantou como uma publicação sólida. O entusiasmo de Bárbara Bulhosa, a dedicação da insubstituível Madalena Alfaia e o talento de toda a equipa da Tinta‑da‑china são a garantia de que a Granta será cada vez melhor. Quero deixar, nesta despedida, um agradecimento profundo e comovido aos autores — dezenas de autores — que aceitaram corresponder ao desafio que lhes lancei de criarem textos originais para esta revista. Foi um privilégio ler em primeira mão escritores que admiro. São estas pequenas coisas que tornam entusiasmante o papel de um editor, fazendo jus ao adágio segundo o qual «deus está nos detalhes».”

A segunda Granta em Língua Portuguesa, como se chama desde o primeiro número de 2018, sob o tema “Fronteiras”, terá como tema, precisamente, Deus/es, e marca a despedida daquele que foi seu editor durante cinco anos e 12 números (os primeiros quando ainda se designava Granta Portugal).

O jornalista Carlos Vaz Marques será assim substituído por Pedro Mexia, colaborador e crítico literário do Expresso, que partilhará esta nova direção bicéfala com Gustavo Pacheco, escritor, tradutor e diplomata do outro lado do Atlântico. É do Brasil que tem saído boa parte das colaborações lusófonas fora de Portugal e assim deverá continuar com o contributo dos novos editores, que não fecharão portas aos falantes de português vindos de outras geografias - a revista continuará a ser composta por textos originais de autores lusófonos, textos do arquivo histórico da Granta, ilustrações originais e ensaios fotográficos.

Há mais algumas coisas que se mantêm: o diretor de imagem continuará a ser Daniel Blaufuks, que escolherá fotógrafos e ilustradores para os próximos números, e a periodicidade manter-se-à semestral, entre maio e em outubro.

A primeira edição sob o comando da dupla está prevista para maio de 2019.