Perfil

Vida Extra

€20 mil para o vencedor do Prémio Novos Artistas. As candidaturas já estão abertas

A Fundação EDP acaba de abrir o período de candidaturas para a 13.ª edição do Prémio Novos Artistas. A iniciativa bienal tem como objetivo “revelar e apoiar o talento nacional emergente no domínio das artes plásticas e visuais”

Horacio Villalobos - Corbis/Getty

A Fundação EDP acaba de abrir as candidaturas para a 13.ª edição do Prémio Novos Artistas, criado com o objetivo de “revelar e apoiar o talento nacional emergente no domínio das artes plásticas e visuais”. As candidaturas, que decorrerem desde esta quarta-feira e até 14 de novembro, deverão ser apresentadas no site da Fundação EDP.

Inês Grosso, curadora do MAAT, Sara Antónia Matos e João Silvério, curadores e críticos de arte, compõem o júri de seleção da 13.ª edição. É a estes que caberá “a escolha de seis a nove candidatos que terão a oportunidade de participar numa exposição coletiva no MAAT, a realizar em 2019”. Quanto ao vencedor, será determinado por um júri internacional ainda a designar.

No valor de 20 mil euros, o prémio bienal destina-se “a apoiar a continuação do estudo ou do trabalho de criação e investigação do artista vencedor”. Instituído em 2000, já premiou nomes como Joana Vasconcelos, Leonor Antunes, Vasco Araújo, Carlos Bunga, André Romão, Gabriel Abrantes, Priscila Fernandes ou Mariana Silva.

Podem candidatar-se portugueses — quer residam ou não em território nacional — e artistas estrangeiros a residir em Portugal. Não há limite de idade.

A carregar...
  • Este não é o meu corpo

    Estudante aplicada de dança no Conservatório de Antuérpia, Lara luta com força sobre-humana para ser como se sente, não como nasceu. Luta contra o próprio corpo para um dia atingir o seu sonho, triunfar no ballet onde só os melhores singram, num conservatório exigentíssimo como todos o são

  • Beckett encontra Gil Vicente

    O Teatro Carlos Alberto estreia na noite desta quinta-feira, no Porto, a peça “Uma noite no futuro”, última encenação de Nuno Carinhas enquanto diretor artístico do Teatro nacional S. João, construída a partir de um auto de Gil Vicente e duas peças de Beckett