Perfil

Vida Extra

"Quel Amour?!" reúne 150 obras de 68 artistas no Museu Berardo

150 obras de 68 artistas para ver no Museu Berardo. Quantas formas de amar há no mundo?

A grande questão da existência é o ponto de partida para a exposição que abre ao público no Museu Berardo, em Lisboa. "Quel Amour!? pede aos artistas que mostrem o seu desejo por esse amor de todas as formas e em todas as linguagens

150 obras de 68 artistas para ver no Museu Berardo. Quantas formas de amar há no mundo?

A grande questão da existência é o ponto de partida para a exposição que abre ao público no Museu Berardo, em Lisboa. "Quel Amour!? pede aos artistas que mostrem o seu desejo por esse amor de todas as formas e em todas as linguagens

Amor e desejo, a única forma, como diz Stendhal, capaz de "reencatar" a vida. Sendo assim, através desse mundo de exclamações e interrogações, a mostra que hoje abre ao público no Museu Berardo, em Lisboa, põe em destaque aquilo que move o ser humano, deixando caminhos e percursos abertos para todos os gostos e propostos por mais de 150 obras de 68 artistas de todas as gerações.

Por ordem alfabética estão lá nomes tão grandes quanto Marina Abramović & Ulay, Chantal Akerman, Pilar Albarracín, Albuquerque Mendes, Helena Almeida, Cristina Ataíde, Omar Ba, Francis Bacon, Richard Baquié, Annette Barcelo, Mohamed Ben Slama, Louise Bourgeois, Miriam Cahn, Sophie Calle, Lourdes Castro, Marc Chagall, Daphné Chevallereau, Antoine d’Agata, John De Andrea, Jan De Maesschalck, Jeremy Deller & Cecilia Bengolea, Mattia Denisse, Marlene Dumas, Tracey Emin, Gérard Fromanger, Élisabeth Garouste, Gérard Garouste, Nan Goldin, Todd Hido, David Hockney, Alex Katz, William Kentridge, Bhupen Khakhar, Sanam Khatibi, Pierre Klossowski, Rémi Lange, Eugène Leroy, Claude Lévêque, Sébastien Lifshitz, Mark Manders, Annette Messager, Duane Michals, Adolphe Monticelli, Adrian Narvaez Caicedo, Shirin Neshat, Florence Obrecht & Axel Pahlavi, Gonçalo Pena, Raymond Pettibon, Marc Quer, Paula Rego, Germaine Richier, Raphaëlle Ricol, James Rielly, Éric Rondepierre, Karine Rougier, Niki de Saint-Phalle, Chéri Samba, Thomas Sipp, Kiki Smith, Ernesto De Sousa, John Stezaker, Michèle Sylvander, Wolfgang Tillmans, Rosemarie Trockel, João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira, Joana Vasconcelos, Jean-Luc Verna, Kara Walker, Francesca Woodman e Jérôme Zonder.

E se ficou sem fôlego, prepare-se para a experiência intíma do amor projetada em todos os suportes imagináveis, da pintura à instalação, da performance ao vídeo. E para se deixar ir pelos trabalhos dos casais artistas como Helena Almeida e Artur Rosa.

Uma curadoria da Éric Corne para ver até 17 de fevereiro.