Perfil

Vida Extra

Morreu a soprano espanhola Montserrat Caballé

Montserrat Caballé, a soprano espanhola que cantou Barcelona com Freddie Mercury, morreu na madrugada deste sábado no Hospital Sant Pau, em Barcelona. Tinha 85 anos

Montserrat Caballé

Getty

A soprano espanhola Montserrat Caballé morreu na madrugada deste sábado, aos 85 anos, em Barcelona. A cantora, que há anos sofria com vários problemas de saúde, estava internada desde meados de setembro devido a problemas na vesícula biliar.

O funeral está marcado para segunda-feira.

Montserrat Caballé, nascida em 1933, era considerada uma das maiores sopranos do século XX e fez milhares de atuações, recebendo inúmeros prémios internacionais.. Fez a estreia em palco em 1953, numa cerimónia de final de curso e, de acordo com a imprensa espanhola, nos 50 anos seguintes interpretou mais de 80 personagens. O seu primeiro grande sucesso chegou em 1965, no Carnegie Hall, em Nova Iorque.

"Ela morreu durante a noite no hospital de Sant Pau", disse à AFP uma fonte neste hospital em Barcelona.
O funeral da artista, uma figura internacional da ópera, vai acontecer na segunda-feira, às 12:00 locais (11:00 em Lisboa), no cemitério de Barcelona. Retirada há vários anos devido a problemas de saúde, Montserrat Caballé, que já havia sofrido um derrame, foi hospitalizada em meados de setembro, devido a um problema na bexiga, segundo os meios de comunicação social espanhóis.


O chefe do governo espanhol, Pedro Sánchez, considerou no 'Twitter' que a morte da cantora lírica é uma "triste notícia", realçando que Caballé era uma "grande embaixadora" de Espanha, uma soprano "reconhecida internacionalmente". "Montserrat Caballé, a sua voz e doçura estarão sempre connosco", acrescentou.


Maria de Montserrat Caballé Viviana Concepción i Folch entrou para o "Conservatori Superior de Música del Liceu", em Barcelona, aos 11 anos, e debutou na Ópera de Bâle em 1956, com "La Boheme", de Giacomo Puccini.
A catalã - cuja arte de "pianissimo" era lendária, tal como a sua potência vocal - cantava tão bem Rossini, Bellini e Donizetti como Mozart ou Dvorak. A 07 de janeiro de 1962, após dois anos em Bremen (Alemanha), Montserrat Caballé finalmente juntou-se à Ópera de Barcelona, o Gran Teatre del Liceu, e foi o início de uma longa história de amor entre a cantora e o seu público.


O sucesso aumentou em 1965, em Nova Iorque, com "Lucretia Borgia", de Gaetano Donizetti, e em 1967 durante a sua primeira "Traviata" (Verdi), sob a direção de Georges Prêtre. Caballé fez então várias 'tournées' de sucesso no mundo, muitas vezes com a sua amiga, a cantora Marilyn Horne, e triunfou em 1972 no La Scala, em Milão, na "Norma" de Bellini.


Regressou em 05 de janeiro de 2002 ao Gran Teatre del Liceu, para assinalar o 40º aniversário de sua primeira aparição, o que lhe rendeu uma ovação de mais de dez minutos. Para assinalar os 50 anos da sua carreira, regressou a 03 de janeiro de 2012 à Ópera de Barcelona para "Outra Noite de Montserrat Caballé". A cantora teve a sua filha Montserrat Martí a 15 de novembro de 1972, na sequência do casamento com o tenor espanhol Bernabé Martí, em 1964. Às vezes cantava com a sua filha, também ela uma soprano.

Montserrat Caballé teve problemas com as autoridades fiscais espanholas nos últimos anos, tendo sido sentenciada, em dezembro de 2015, a seis meses de prisão, que não cumpriu, e a uma multa de 250.000 euros por evasão fiscal.

O momento mais mediático da sua carreira surgiu em 1992, quando interpretou com Freddie Mercury, o vocalista dos Queen, a canção que viria a ser o hino dos Jogos Olímpicos desse ano em Barcelona. A música nunca foi cantada ao vivo pelos dois intérpretes, devido à morte de Freddie Mercury.

A carregar...